Achados

Viajar de Ryanair: tortura ou mão na roda?

por Adriana Setti em

Para algumas pessoas, viajar com a companhia aérea mais barata do mundo é uma “aventura exótica”. Para outras, reclamar dos “absurdos da Ryanair” (e continuar fiel a ela) é um vício. Como não voava há tempos pela empresa, vinha evitando tocar no assunto. Afinal de contas, poderia estar desatualizada. Pois bem, no último mês, viajei três vezes pela low-cost irlandesa: voltei de Bratislava a Girona-Barcelona, e fui e voltei de Vilnius, na Lituânia. Tortura ou mão na roda? Depende do destino, de quanto se economiza com isso, de seguir à risca as normas xiitas da companhia e, acima de tudo, do seu perfil.

Por que deveria me submeter a voar Ryanair?

O caso da passagem de Vilnius é o meu melhor exemplo. A companhia aérea mais barata, fora a nossa “amiga”, tinha bilhetes disponíveis por € 300 euros ida e volta, com uma escala. Pela Ryanair, saiu por € 125 (já com uma mala incluída, que aumentou em € 30 o preço da passagem), e o voo era direto. Multiplicando por dois (fui junto com a minha queridíssima mãe), economizamos € 350: quase o valor de cinco dias numa baita suíte do fofíssimo B&B Mano Liza, pela qual pagamos € 380, com café da manhã. Se valeu a pena? Muito.

Mas e isso de voar para aeroportos que são longíssimos das grandes cidades? Continua valendo a pena?

Aqui temos o grande porém. No caso de Vilnius e Bratislava, a Ryanair tem base nos aeroportos principais – em Barcelona, também, só que para poucos destinos. Ainda que eu tenha embarcado no aeroporto de Girona, a 1h15 de Barcelona, pelo menos passei por esse perrengue de deslocamento longo apenas em um dos trechos de cada viagem. No caso de ter que fazer duas viagens de ônibus e mais um voo só para chegar até um destino (como seria o caso de ir de Girona até Estocolmo-Skavsta, Londres-Luton ou Milão-Bergamo), vale pensar duas (ou até mais) vezes. Na minha modesta opinião, só vale mesmo se a diferença de preço for muito gritante – e a questão é que muitas vezes é.

Afinal de contas, quanto costuma demorar a viagem até esses misteriosos aeroportos alternativos?

Em média, entre uma hora e uma hora e meia (se você está acostumado com Guarulhos, vai reclamar?). No caso de Girona, a viagem de ônibus saindo da Estación del Nord de Barcelona demora cerca de 1h15. No entanto, muitas vezes é preciso sair bem mais cedo porque os horários não são exatamente convenientes para todos os voos. Mas, como diria o meu amigo Daniel, “se você não tem dinheiro, pelo menos tem que ter tempo”.

Mas ir até esses misteriosos aeroportos não acaba saindo caro e botando abaixo a economia?

Depende do caso. Ir até o aeroporto de Girona de ônibus (bem confortável, saindo da Estácion del Nord, aonde é possível chegar de metrô ou ônibus urbano) custa € 12. Ir até o aeroporto principal de Barcelona custa € 5,30. Exatos € 6,7 de diferença. Definitivamente ninguém vai morrer por causa disso. Em vários destinos essa é a média de preço. Uma das exceções é Londres: ir de Luton até o centro custa € 16 de trem e € 18 de ônibus (vale lembrar, no entanto, que TODAS as low-costs voam para aeroportos alternativos de Londres). Portanto, repito: vale a pena, dependendo de quanto você economizou voando Ryanair ao invés de outra empresa melhorzinha.

Outdoor voador

E o voo em si? É tão ruim assim?

A diferença está nos detalhes – e são vários deles, mesmo em relação a outras low-cost. Essas pequenas coisas costumam irritar a algumas pessoas.

Além de bancos estreitos, poltronas que não reclinam e serviço de bordo pago e caro, algo comum entre quase todas as low-cost, na Ryanair…

… o avião está lotado de publicidade, é um verdadeiro outdoor voador.

… não existe aquele bolsinho no banco da frente para guardar revistas, para que a limpeza possa ser feita mais rapidamente (e por menos gente, provavelmente).

… as aeromoças vendem uma espécie de bilhete de loteria.

… tanto em Girona como em Vilnius tivemos que caminhar por uns 300 metros até o avião. Em Girona estava chovendo torrencialmente.

Quais são as pegadinhas que deixam as pessoas tão furiosas?

Ao comprar um bilhete de Ryanair, você tem que clicar em N casinhas de “concordo com isso”, “concordo com aquilo”. Basta ler todas essas condições com paciência, e seguir todas as regras à risca, que você passa imune a uma boa lista de pegadinhas — no entanto, muita gente sucumbe:

- Você está obrigado a fazer check-in pela internet e imprimir o seu cartão de embarque. Se não fizer essa lição de casa, paga uma multa de € 40 (!). Agora, venhamos e convenhamos: dá tanto trabalho assim imprimir um maldito papel em casa? Fazer check in on-line, aliás, é uma ótima pedida mesmo nas companhias aéreas regulares, porque agiliza muito o processo. Além disso, a companhia envia um último aviso por email dias antes do embarque. Só a mais distraída das criaturas pode passar batido.

- A tolerância em relação ao peso da mala é zero e faturar uma bagagem  pela qual você não pagou ao reservar a passagem sai caro. Mais uma vez, basta prestar atenção, pagar com antecedência e pesar tudo antes de sair de casa. Aqui, um detalhe surreal: em Bratislava a funcionária do check-in não me deixou pesar a mala na balança do balcão antes de fazer o procedimento. Tive que pagar € 0,50 para pesá-la em uma balança ao lado do guichê. Um pouco demais, não?

- Você só pode embarcar com um volume em mãos, seja ele uma mala pequena (que deve medir exatamente o estipulado pela companhia e pesar até 10kg), a sua bolsa ou uma sacola com compras no Duty Free. Não tem choro.

- Não há lugar marcado. Mas você pode pagar uma pequena taxa para ter prioridade de embarque. Dessa forma, entra primeiro no avião e escolhe o assento, simples assim. Por que tantas pessoas se chocam com isso? Muitas vezes, em um voo lotado de um companhia top de linha, o seu lugar é escolhido aleatoriamente na hora do check in e acaba sendo péssimo, não? Comigo SEMPRE acontece.

- O mais irritante: para agilizar o embarque, eles fazem todo o procedimento, você chega a passar do portão de embarque e depois fica esperando no corredor, ufff.

O que, afinal de contas, eu acho de voar Ryanair?

Sim, eles esfregam na sua cara que você pagou barato. Sim, você perde mais tempo com deslocamentos. Sim, alguns detalhes são mesmo irritantes. Sim, eles são intolerantes e se aproveitam de qualquer distração dos passageiros para faturar. Mas se todas essas pequenas coisas fazem a passagem custar três vezes menos do que a mais barata de todas as outras low-cost (e às vezes um décimo das regulares), tô dentro! Defendo a Ryanair com unhas e dentes porque eles não enganam ninguém: ao comprar a passagem você é ostensivamente informado sobre todo o procedimento, em letras garrafais. Se você passou batido, desculpe, mas é problema seu. Por outro lado, entendo perfeitamente que a companhia seja contra-indicada para pessoas mais velhas ou menos experientes em viagens internacionais (principalmente por isso de ter mil normas e pegadinhas) e aquelas que simplesmente não precisam economizar e entraram nessa “aventura exótica” meio desavisadas. Vale dizer que acho que a minha queridíssima mãe não voltaria a repetir a experiência…

Siga @drisetti no Twitter

Veja também: o que fazer em caso de voo atrasado ou cancelado no exterior

Comentários (21)
Deixe seu comentário
Nome
E-mail
Comentário (Seu comentário mínimo 5 caracteres )

  • Por: Patricia
  • -
  • 8 de abril de 2014 at 16:55

Gente, alguém pode me ajudar?
Estou tentando comprar passagem de Madri a Roma pelo site da Ryani, mas nao consigo.
Eles recusam meu cartão. Já liguei no banco e está tudo certo. Não dá para comprar passagens aqui do Brasil com cartão emitido aqui?

Obrigada

  • Por: Fabiana
  • -
  • 17 de janeiro de 2013 at 18:18

Olá! Estou pensando em aproveitar uma promoção de passagem bem baratinha só para fazer minhas compras no duty free no aeroporto de Dublin e em euro. Será que dá certo? Será só uma passagem de ida, faço as compras, perco o vôo e já volto pra casa…

  • Por: carlos
  • -
  • 23 de dezembro de 2011 at 22:28

Boa noite.
Agradecia que alguém me ajudasse nas seguintes dúvidas.
Vou viajar pela 1ª vez de avião … :)
Voo Porto-Valência na Ryanair.
Vou levar uma mala de cabine mais uma mala de 20 kg no porão (indiquei as 2 malas quando da compra na internet)

Pergunto:

- Quando chegar ao aeroporto vou para fila normal? Ou directo para porta de embarque?

- Devo colocar alguma etiqueta com meu nome fora das malas?

- Posso levar aqueles líquidos (250ml)para lentes de contacto na mala que vai no porão?

- As restrições do volume dos líquidos é para as 2 malas ou só para mala da cabine?

- O voo sai as 7.30 da manhã. A que horas devo chegar lá?

Peço que tenham paciência por tantas perguntas, mas é a minha primeira vez… e estou com receio de fazer asneira!

Obrigado!

  • Por: Helder
  • -
  • 27 de novembro de 2011 at 17:15

Ola Adriana,
Acabei de comprar passagens no trecho LPA/MAD/LPA, e apesar de ter lido todas as condições gerais ainda tenho uma dúvida.
Pelo que eu entendi, na Ryanair, você pode despachar uma mala (dentro daqueles padrões deles) e ainda levar uma bagagem de mão, é isso?
Ou é uma coisa ou outra?
Obrigado
Helder

    • Por: Adriana Setti
    • -
    • 29 de novembro de 2011 at 15:55

    Oi, Helder. Você pode levar uma mala de mão (nas condições deles) e NENHUMA mala embarcada, a menos que pague por ela como extra, na hora de comprar a passagem. Se você já comprou a passagem, pode entrar na sua reserva e acrescentar uma mala, desde que não tenha feito o check-in on line ainda. Boa sorte!

  • Por: Meiriele
  • -
  • 15 de agosto de 2011 at 22:37

E uma pergunta: recomendam alguma outra cia p trecho londres – dublin? O jeito q estou vendo mais barato é pela ryanair mesmo… Fato ou não, estou com medo com relação ao check-in, pq vou estar no meio de uma viagem e não sei se conseguirei imprimir o check in nela!

    • Por: Adriana Setti
    • -
    • 16 de agosto de 2011 at 7:42

    Oi, Meiriele, olha, pra Dubli Ryanair é a melhor mesmo, viu? Você pode imprimir o check in logo que compra a passagem. Nao precisa ser na véspera. Ou se nao, pode ir num cyber cafe…

  • Por: Rafael Carvalho
  • -
  • 1 de julho de 2011 at 9:31

Adorei o relato, para mim valeria a pena. Ano que vem experimentarei!!!

  • Por: Daniel Vilhena
  • -
  • 26 de junho de 2011 at 10:39

So um detalhe: a Ryanair viaja pra Stansted e Gatwick também (ambos aeroportos com trens direto pra Londres).

Acho que uma das coisas mais irritantes da Ryanair é que na ânsia de faturar, o vôo torna-se frenético: passam o carrinho de comida duas vezes, o carrinho de duty free uma, e a tal da loteria. Voce nao tem sossego no vôo.

    • Por: Adriana Setti
    • -
    • 26 de junho de 2011 at 14:07

    Sim, mas Stansted e Gatwick ficam bem longinho e o transporte não é dos mais baratos, né?

  • Por: PêEsse
  • -
  • 25 de junho de 2011 at 19:30

Aproveitando o assunto, talvez você possa me ajudar, até porque outras pessoas podem estar na mesma situação.

Atualmente, meu maior problema tem sido com a bagagem de mão por conta dos eletrônicos. Duas câmeras (uma ‘grande’ e uma portátil), três lentes, cabos, adaptadores, carregadores, netbook (do pequeno mesmo), enfim, a parafernália eletrônica. Não dá mesmo para diminuir nem para despachar. Isso, além de ocupar espaço, pesa. Alguma dica para conseguir lidar com isso sem estresse em companhias que são rigorosas com a bagagem de mão?

    • Por: Adriana Setti
    • -
    • 26 de junho de 2011 at 9:24

    Oi PêEsse. Se a sua mochila for compacta, dentro dos limites exigidos (tem que caber naquela forma de metal que tem ao lado do check in), é muuuuuito difícil que eles peçam para pesar…. O problema é mais o volume do que o peso. Mas, claro, pode acontecer…. Talvez você possa despachar pelo menos os cabos, carregadores e adaptadores, não?

  • Por: PêEsse
  • -
  • 25 de junho de 2011 at 19:00

Há um mês, voei Wizzair. Todas essas recomendações se aplicaram (check in on line, pagar antes pela mala a ser despachada, ausência de lugar marcado etc.), exceto o xiitismo quanto à bagagem de mão. Exigiam apenas que fosse somente uma por passageiro, sem exceções, mas não pesaram nem mediram nenhuma.

Muita gente está usando os casacos da http://www.scottevest.com/ para fugir do rigor das empresas aéreas com a bagagem. Esse rigor, inclusive, é algo que, para mim, já está passando dos limites do razoável. Basta pedir um casaco um número maior e tudo caberá, até lentes de câmeras.

Nos EUA, de 47 espécies de empresas, as aéreas foram as piores avaliadas. O principal fator para isso, de acordo com uma reportagem da CNN, foi a cobrança de tarifas por bagagem.

http://edition.cnn.com/2011/TRAVEL/06/21/customer.satisfaction.airlines.hotels/index.html

  • Por: Mari Campos
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 20:14

Vou experimentar a dita cuja first time ever agora em julho, justamente porque a diferença de valores com outras companhias era homérica. Embora nunca tendo voado com eles, concordo com vc: ninguém embarca desavisado dos perrengues, porque a gente clica em mil caixinhas concordando com isso, aquilo e aquele outro antes de ter o bilhete emitido. Agora esse lance de caminhar até o avião sob chuva torrencial é uó, né?

  • Por: Isabela Eugenio
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 19:29

Conferência de passaporte no balcão da companhia, como disse o Fábio.

  • Por: Isabela Eugenio
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 19:28

Concordo plenamente com tudo! Só lembrando que quem tem passaporte brasileiro, mesmo tendo feito o check-in online, tem que passar pela conferência de passaporte e ter o bilhete carimbado antes de ir pra sala de embarque. Uma amiga minha uma vez dormiu no aeroporto porque tinha que pegar um voo muito cedo e perdeu ele por causa disso.

  • Por: Carolina
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 13:14

Eu viajo com a Ryanair desde 2004 e ainda que ela tenha sido sempre lowcost, a coisa foi se deteriorando com os anos!!! Antes pelo menos vc era bem atendido, agora parece que todos os funcionarios são sanguessugas atrás do seu dinheiro!! um horror!!! A ultima vez que fui da Espanha para Marrocos, esquema mochila mesmo, foi uma experiencia para nunca mais repetir!! Sabe quando vc diz “é a ultima vez que viajo de Ryan Air” pois agora estou assim e nem por isso tenho que pagar mais caro, a depender do destino. Há muitas companhias aereas lowcost que oferecem melhores serviços que a dita cuja irlandesa. Aqui na Espanha virei fan da vueling e ainda economizo tempo e dinheiro sem ter que fazer o traslado. Pq tem gente que diz “há eu paguei 5 euros para ir e voltar a Paris” mas nesses 5 euros não se contam os 24 euros de bus (ida e volta) para fazer o translado. Então no total o voo sai 27 euros se tudo sai bem!!! Agora viajando pela vueling por exemplo eu pago 30 euros (com taxas incluidas) e sem necessidade de tomar um bus com uma hora e meia de trajeto entre o aeroporto e a cidade de destino… Considerando que eu nem pago os 5.30 de aerobus pq vou de renfe mesmo!!

    • Por: Adriana Setti
    • -
    • 23 de junho de 2011 at 6:13

    Oi, Carolina. Eu concordo plenamente que TODAS as outras low cost são melhores. Sou fã de carteirinha da Vueling. O negócio pega quando a gente quer ir para esses destinos mais distantes e menos batidos, como Bratislava e Vilnius, no meu caso. Nenhuma outra low cost voa pra lá direto daqui… E as regulares cobram preços homéricos. Daí a Ryanair passa a ser uma bênção. Por isso, mantenho a minha posição de que a torturinha vale quando a diferença é BRUTAL, e não qualquer 20 ou 30 euros, que fazem com que quase nunca valha apena ir para Londres, Paris ou outros destinos mais pop com a “nossa amiga”. Ah, e tb concordo: a Ryanair era muito melhor no começo. Mas daí eles inventaram mais jeitos de ganhar dinheiro e com isso cresceram horrores, oferecendo mais destinos do que qualquer outra companhia, né? Ou seja, tem os dois lados da coisa aqui tb.

  • Por: Simone
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 12:02

Já voei pela Ryanair várias vezes e concordo perfeitamente, o último parágrafo resume tudo! Não pagaria 3…5-10 vezes mais apenas para ter alguns pequenos luxos a mais e um assento um pouco mais largo (em viagens curtas, o que é a maioria dos trechos).
É UMA MÃO-NA-RODA PARA O VIAJANTE MOCHILEIRO OU DE BAIXO-MÉDIO ORÇAMENTO!

  • Por: Leandro
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 9:33

Já voei de Ryan Air e paguei 1 centavo (!!) pelo trecho Barcelona-Roma e 5 euros pelo Paris-Madrid. Com os penduricalhos, não saiu mais do que 20 euros. Vale muito a pena, principalmente para viagens curtas, como são quase todas da companhia.

  • Por: Fabio
  • -
  • 22 de junho de 2011 at 9:14

Outra coisa importante para quem nao tem o passaporte europeu, eh que mesmo tendo feito check-in online, e nao tendo mala, vc TEM que passar pelo balcao para ganhar um carimbo que diga que seu passaporte foi revisado antes!