Direto de Buenos Aires

Bellagamba – mistura de boteco com bodegón

por Marcelo Barbão em

Por acaso, um leitor pediu nos comentários que falasse mais de restaurantes baratos. E o Bellagamba é realmente uma das opções mais baratas que existem. Para começar, o atendimento é estilo “self-service”, com toda a comida (bem tradicional) no fundo.

Outro ponto interessante é que o restaurante está localizado num dos bairros pouco tradicionais em termos de gastronomia, entre o Once e o Congreso (sendo que o nome oficial do bairro é Balvanera).

E as coisas “diferentes” do Bellagamba não acabam por aqui: há muitas mesas que são velhas máquinas Singer recicladas, ele fica aberto 24 horas e transformou-se em ponto de encontro de boêmios, jovens, além de happy hour para quem trabalha na região.

O “menu” é hiper-tradicional: milanesas, frango, empanadas, saladas diversas. Há vários fornos micro-ondas para esquentar. O preço beira o ridículo. Eu comi um pedaço grande de frango e minha esposa, algumas empanadas. Suco e água (estava saindo da gripe e era na hora do almoço), e a conta não chegou aos 40 pesos.

Realmente, é o bodegón perfeito para quem vem no estilo “mochilão”. Ah, mas a decoração é típica desses restaurantes, com fotos antigas, garrafas penduradas, um ambiente acolhedor. Só cuidado com as filas no fim-de-semana, dizem que são grandes.

Por um problema técnico de minha parte, as fotos desse post são de Túlio Pires Bragança, que morou vários anos aqui e tinha um blog chamado Aires Buenos (http://aires-buenos.blogspot.com).

 

Bellagamba

Rivadavia, 2183

Museu Enrique Larreta

por Marcelo Barbão em

Para quem vai fazer compras na região de Belgrano, uma boa pedida cultural é visitar o Museu de Arte Espanhola Enrique Larreta, localizado num lindo casarão em plena avenida Juramento. Construída ao redor de 1880, quando Belgrano deveria ser somente uma vila a alguns quilômetros do centro da cidade, cheio de fazendas e sítios, a casa foi adquirida em 1916 pelo escritor Enrique Larreta.

Ele viveu nessa casa até sua morte em 1961. Além do cuidado com a casa, Larreta era um importante colecionador de arte espanhola, o que já mostrava qual seria o futuro do lugar.

Em 1962, a casa é transformada em museu, abrigando quadros, esculturas e móveis espanhóis que vão do século XIV ao XX. Além dos objetos, a casa em si já vale uma visita (e mostra como nós, hoje em dia, vivemos mal). Para mim, o passeio valeu pela caminhada que fiz no incrível jardim que cerca a casa.

As fotos são dali, porque dentro do museu não é permitido. E dá para ver bem como o jardim, no meio da loucura da cidade, é um oásis de tranquilidade.

Além das exposições temporárias e permanentes, o museu ainda possui um pequeno auditório ao ar livre para peças teatrais e uma agenda bastante completa de cursos e oficinas em várias áreas.

Um excelente passeio para crianças, veja no site os dias e horários com visitas guiadas.

 

Museo Enrique Larreta

Juramento 2291

http://www.museolarreta.buenosaires.gob.ar/larreta.htm

Compras em Belgrano

por Marcelo Barbão em

Como já falei, esse mês quem está escolhendo os temas para o blog é a Stella, minha esposa. Por isso fomos aproveitar o fim de semana de compras, claro. E ela adora essa região perto do metrô Juramento.

Ali está uma das chocolaterias mais famosas e recomendadas de Bariloche: a Mamuschka. Surgida em 89, a Mamuschka não é russa, mas essas famosas bonecas são uma das marcas registradas da empresa.

Com diversos produtos, entre bombons, torrones e (os meus favoritos) chocolates em rama, a Mamuschka é um início obrigatório para quem vem fazer compras nessa região, ainda mais para quem quer voltar para o Brasil já com o presente de Dia das Mães comprado.

Em apenas dois quarteirões na Avenida Cabildo, há uma grande quantidade de lojas como Yves Saint Laurent, Ciona para sapatos, Portsaid, Markova e Cheeky, para roupas. A La Perfumerie (precisa explicar o que vende?).

Depois das compras, mesmo cheia de pacotes, é preciso tomar um sorvete na Un’Altra Volta, uma sorveteria que fica a apenas um quarteirão da avenida Cabildo. Ou um café, se preferir.

Ah, e não se esqueçam que o Bairro Chinês está muito perto, menos de 10 minutos em táxi, para completar as compras com pequenos presentinhos.

 

Mamuschka

Sucre 2478 (esquina com Av. Cabildo)

www.mamuschka.com

 

Un’Altra Volta

Echeverría 2302 (esquina com Vuelta de Obligado)

www.unaltravolta.com.ar

A rua das baladas

por Marcelo Barbão em

Muita gente jovem me pergunta: então, onde estão as baladas de Buenos Aires. E elas estão espalhadas entre vários bairros. Mas há uma rua em Palermo, perto do Hipódromo, que anda chamando atenção: a “calle” Baez.

Por causa da grande quantidade de bares e restaurantes, a maioria funcionando à noite, ou a partir da “happy hour”, a rua se transformou em ponto de encontro de gente jovem e solteira. Muita gente chama essa região de “Las Cañitas” – um dos vários bairros “fantasmas” da cidade (criados pela especulação imobiliária).

Las Cañitas era o nome da chácara que existia nessa região no século XIX. Até pouco tempo era uma zona basicamente residencial. Há alguns anos, começaram a abrir bons restaurantes como o Las Chulas na região. Mais recentemente, bares.

Isso levou a um boom imobiliário tremendo, com grandes torres luxuosas, estilo Puerto Madero, tomando conta da área. Há uma grande quantidade de estrangeiros residindo de forma permanente ou temporária na área.

Passei pela rua no domingo, aproveitando talvez umas das últimas tardes quentes deste outono. A rua continua sendo bastante popular, com uma mudança de perfil e público: mais familiar.

Prepare-se para esperas, já que os restaurantes são bastante procurados.

 

Rua Baez

(entre Clay e Ortega y Gasset)

Diversos bares, para conhecer gente.

38º de febre, tosse e dor de corpo

por Marcelo Barbão em

Sim, o blog está um pouco atrasado por causa de uma gripe que me deixou de cama. Buenos Aires sempre é atacada, nas mudanças de estações, pelo vírus da gripe. E eu não tive tempo de tomar a vacina.

Mas assim que melhorar, começo a postar. E abril será um mês especial já que toda a agenda foi organizada por minha espsa, Stella. Assim que esperem as novidades.