Saia pelo Mundo

Comer MUITO bem e barato em Nova York? Yes, we can!

por Mari Campos em

A sobremesa DI-VI-NA que eu comi no menu de almoço do Café Boulud

Continuando a série novaiorquina de posts, tá na hora de falar sobre gastronomia. Para muita gente, comer bem em Nova York é algo tão importante numa viagem quanto conferir o que há de novo na cena cultural da cidade e fazer umas compritchas. Eu curto muito. E comer bem em Nova York, acredite, tá saindo mais em conta que comer bem em São Paulo – afinal, não só a capital paulista mas muitas cidades brasileiras perderam COMPLETAMENTE  a noção no quesito preços de restaurantes, não?

Foi bom ver, nessa minha viagem “de Páscoa” para lá na companhia de amigos que o cenário da boa gastronomia local está cada vez mais democrático financeiramente. O excelente Café Boulud , por exemplo (o restaurante do ubber Daniel Boulud no excelente hotel The Surrey) tem um menu prix fixe por U$35 dólares no almoço – e isso inclui entrada, prato principal e sobremesa, que podem ser escolhidos dentre quatro opções distintas no mínimo cada um deles. O restaurante, além de delicioso (mesmo! Foi um dos meus preferidos da viagem), conta com ambiente ultra elegante e belíssimo serviço.

O disputado Le Caprice, situado dentro do luxuoso The Pierre e sempre lotado no horário do almoço pelos executivos e moradores do Upper East Side, também aderiu a essa fórmula maravilhosa: tem menu prix fixe durante a semana no almoço E no jantar (só não servem das 19h30 às 22h essa promoção) também com opções distintas para refeição de 3 pratos por 29 dólares.

A querida Carmem, do fofo De uns tempos pra cá, testou com a também querida Ana o fofo Robert com menu a 28 dólares – não deu tempo de eu ir, mas elas super aprovaram. E há mais montes de opções, de petiscos gourmet em bares (como no ótimo The Bar do Four Seasons) a opções mais em conta e igualmente deliciosas com prato único. Gastronomia de primeira, ótimo ambiente, por preços “pagáveis” – e com água filtrada sempre de graça, que deveria ser obrigatório no mundo inteiro, é claro.

Bom… agora só fica no hotdog quem realmente curtir, né? ;-)