Saia pelo Mundo

Dubai também vira sozinha

por Mari Campos em

Como eu fui de Emirates pra Jordânia, eu acabei ficando em Dubai na ida e na volta. Foi pouco tempo, só um dia de layover da companhia em cada trecho, mas deu pra perceber razoavelmente a vibe da cidade no quesito mulheres desacompanhadas.

Eu já tinha lido, antes de embarcar, vários textos de blogueiras gringas dizendo que Dubai era um destino super women friendly. E é mesmo. Rola todo o assédio masculino, é claro, e não, eles definitivamente não são tão cavalheiros quanto os jordanianos. Mas a grande diferença é que, Dubai, sendo toda artificialzona e fabricadona como é, respira ocidentalismos. Eles estão acostumados com mulheres de toda parte do mundo zanzando dia e noite por suas ruas, praças (poucas, por sinal) e áreas comerciais, vestidas de todo jeito.

Se eles são super rigorosos com qualquer tipo de demonstração de afeto em público (tipo marido beijar mulher na boca, por exemplo), eles reagem bem normalmente a uma mulher andando sozinha ou comendo sozinha num restaurante. É claro que valem as mesmas recomendações para mulheres viajando, sozinhas ou acompanhadas, para qualquer destino árabe: nada de roupas curtas ou decotadas. Questão de respeito à cultura local, né, gente? Você vai cruzar com um monte de mulheres vestindo xador, hijab, niqab e até burca o tempo todo, assim como um monte de mulheres vestindo jeans e camiseta.

No geral, é bem tranquilo mesmo. Até porque Dubai não é lá muito walkable, não;  algumas distâncias são bem, bem grandes, e a cidade não foi concebida para transeuntes. Carro funciona muito, táxis são abundantes e têm preços decentes e o novíssimo metrô (sem condutor!) também é show de bola  – embora ele não sirva para a cidade toda, não.

Mas, se ainda assim, você não se sentir à vontade zanzando solita, sobretudo à noite, peça pra recepção do seu hotel chamar um dos Pink Taxis. Quem me deu a dica foi uma funcionária da própria Emirates no balcão de check in em Guarulhos –e é claro que eu fui conferir. Operados pela mesma cooperativa que controla os táxis legalizados de Dubai, são carros pintados em pink (alguns tipo black cab londrinos), todos eles pilotados por mulheres, servindo para o transporte de mulheres exclusivamente. E o uniforme delas também é rosa, obviamente. Já aviso de antemão que elas dirigem beeeem mais devagar que os taxistas homens de lá; mas, se você não tiver pressa, elas são super pacientes com quem faz itinerário picadinho e têm histórias incríveis.