Viajar Bem e Barato

Cias aéreas low-cost na Europa: começando do começo

por Rachel Verano em

No início da semana eu comecei a postar sobre as novidades nas rotas das companhias aéreas de baixo custo na Europa e logo pulei para um raio X da situação na Itália, com um panorama geral dos voos domésticos e internacionais. Mas, como tem muita gente me perguntando como a coisa funciona, vou dar um passinho atrás e explicar como é o maravilhoso mundo das viagens de avião baratas na Europa antes de seguir com mais detalhes sobre mais países. :-)

As cias aéreas low-cost começaram a surgir timidamente no final dos anos 80. Uma das primeiras foi a irlandesa Ryanair, hoje uma gigante que opera mais de 1.100 rotas para 253 destinos diferentes, em 26 países. Mas a coisa começou mesmo a pegar fogo no final dos anos 90, com o surgimento de concorrentes de peso (como a inglesa Easyjet, outra que está entre as maiores do mundo). Mas, afinal, o que são essas empresas?

As low-cost são cias aéreas que aboliram qualquer tipo de frescuras a bordo em busca de uma tarifa mais baixa para o passageiro. Por frescura entenda-se algumas frescuras de fato (lencinhos, balinhas, lanchinhos) e outras nem tanto assim (espaço confortável entre as poltronas, por exemplo, check-in de mala incluído etc). São como a Gol, a Webjet e a Azul, no Brasil, mas com um diferencial: na Europa elas são muito mais agressivas em termos de preços. Com a concorrência, o resultado foi ficando cada vez melhor. Hoje as cias aéreas de baixo custo voam para qualquer canto do continente e estão começando a colocar as asinhas para fora das fronteiras – já há voos para Israel, Marrocos, Rússia…

E é seguro voar com essas empresas? De maneira geral, não há nenhuma diferença entre elas e as cias aéreas mais tradicionais, a não ser no quesito “extras” (os mesmos citados acima). Elas geralmente usam aviões novinhos, não têm históricos de atrasos homéricos e costumam honrar com todos os compromissos com os passageiros, como as demais (até porque as leis que regulamentam o espaço aéreo europeu são as mesmas para todo mundo – e são severas).

Mas é preciso ter em mente alguns detalhes ao escolher uma cia aérea low-cost. Sim, é absolutamente normal você conseguir voar por menos de € 10 por trecho. Mas para que o barato não saia caro, é sempre bom saber que…

1. As bagagens despachadas podem ser cobradas à parte

2. Mesmo quando cobradas, as bagagens de porão não podem exceder o limite de peso (em geral, de 12 a 15 quilos)

3. Não existe “jeitinho” na hora de pesar a bagagem – é nessas horas que as empresas mais lucram. Qualquer quilinho a mais será computado e devidamente cobrado. Na brincadeira, despachar a bagagem pode sair fácil, fácil mais caro que a passagem. Conclusão: viaje leve

4. Não existe essa de dar uma de espertinho e deslocar o peso para a bagagem de mão – os atendentes costumam pesar a bagagem de mão também (os limites de pesos variam entre 5 e 10 quilos, dependendo da empresa)

5. Para conseguir as melhores tarifas, viaje no contra-fluxo. Segunda-feira à tarde é uma maravilha (você pode estar de férias, mas os europeus continuam trabalhando, e os voos de fim de semana são lotados e, claro, mais caro). :-)

6. Para saber das melhores ofertas, é fundamental cadastar-se nos mailings das empresas. Só assim você poderá participar de milagres como “voe por € 1 se reservar até a meia-noite de hoje”, por exemplo 

7. Muitas vezes essas empresas operam em aeroportos secundários. Na hora de dar a busca por um destino específico, é bom se informar antes. Por exemplo: você pode querer chegar em Barcelona, mas o aeroporto usado pela empresa pode ficar em Girona. De maneira geral, há transportes baratos até os principais destinos dos arredores, mas não custa computar os preços e as distâncias. 

Por fim, se você é novato no ramo e ainda está tendo dificuldades em se localizar, guarde três nomes: Ryanair, Easyjet e Vueling. Com essas três empresas você vai para praticamente qualquer canto. Mas é bom saber que este universo está cada vez mais gigantesco e irresistível. Com tempo, vale a pena chafurdar nas pesquisas…

Comentários (12)
Deixe seu comentário
Nome
E-mail
Comentário (Seu comentário mínimo 5 caracteres )

  • Por: fabio
  • -
  • 28 de dezembro de 2012 at 17:48

tbm otimas alternartivas
wizz air
Europe Airpost

  • Por: raimundo
  • -
  • 23 de junho de 2012 at 20:13

preços de low cost da europa para israel promoçao.

  • Por: Rachel Verano
  • -
  • 6 de junho de 2010 at 22:21

Adriano, o limite para a bagagem despachada com a Vueling é de 23 kg e o excesso de peso, de € 10 por quilo. Já a mala de mão pode pesar 10 kg e precisa ter as seguintes dimensões: 55X40X20 cm.

  • Por: Rachel Verano
  • -
  • 6 de junho de 2010 at 22:16

Post respondido publicamente, Susana! :-) Muito obrigada! bjs

  • Por: Susana
  • -
  • 5 de junho de 2010 at 16:09

Rachel, deixe eu ter a ousadia de sugerir que você faça um post mostrando como é a realidade de voar em uma low cost dessas, seja qual for. O horário dos vôos é viável ou o vôo sai ou chega durante a madrugada, forçando um gasto nem sempre baixo com táxi ou mesmo forçando uma noite de hotel em algum lugar? O aeroporto é mesmo na cidade indicada ou a uma hora de ônibus pago por fora? Uma passagem para tal lugar custa “desde” poucos euros, mas realmente se consegue essa passagem pelo menor preço? E a viagem na prática, como é? Paga-se pelo quê além da passagem em si (ouvi dizer que algumas cobram para pagar com cartão de crédito, mesmo quando esse é o único meio de pagamento aceito)? Alguma empresa não cobra para despachar bagagem ou esse é um gasto já certo? O que dá e o que não dá para levar como bagagem de mão? Antes que você diga “mas que menina chata e implicante”, deixe eu me explicar. Baseado no que vejo entre meus amigos e amigas, acho que o brasileiro médio que vai à Europa fica menos de trinta dias. Percentualmente, não devem ser muitos os que ficam mais que um mês. Eu sempre tive a impressão que as low cost servem mesmo é para quem mora na Europa, que pode sair de sua cidade para ficar quatro ou cinco dias em outro lugar com no máximo quinze quilos já levando a roupa certa. Na minha cabeça as low costs, como regra, não dão muito certo para os brasileiros, que saem do Brasil com uma mala pesando o que naturalmente tem de pesar uma mala para quem vai ficar trinta dias e não sabe com exatidão o tempo que vai pegar. Consumo e exageros à parte, não dá mesmo para ser só quinze quilos (só uma mala média vazia pesa uns quatro, no mínimo). Além disso, tem o fator tempo. Para esse brasileiro médio, será que compensa mesmo “gastar” alguns de seus poucos de quinze a trinta dias de Europa “perdendo tempo” indo para aeroportos distantes, saindo ou chegando de madrugada? Como você fez um ótimo post mostrando por A + B como o seguro World Nomads vale a pena, resolvi tomar a liberdade de sugerir um post que mostrasse como são as low costs “por dentro”, na prática, para que o brasileiro médio, que não mora na Europa e normalmente só fica aí uns trinta dias, possa analisar se é mesmo tudo isso que dizem ou não e se a economia realmente vale a pena. Só estou propondo isso para contribuir, porque seu blog é excelente e é fonte de consulta e ajuda de muita gente. Aliás, parabéns por ele, que está cada vez melhor.

  • Por: VANDERLI TEOFILO
  • -
  • 1 de junho de 2010 at 11:19

PARABENS PELA REORTAGEM, CONCORDO E JA COMPROVEI E JA USEI AS 3 ( TREIS). E UMA DELAS ATE COMPREI CARTELA DE BINGO DURANTE O VOOL DE MADRID AO MARROCOS E QUASE FUI SOTEADO KKKK. SOU DE BAO VIAGEM, RECFE, PE.

  • Por: Jean
  • -
  • 30 de maio de 2010 at 11:46

porque não temos o mesmo serviço aqui no Brasil ?

  • Por: ADRIANO
  • -
  • 29 de maio de 2010 at 16:28

A RAQUEL, ESQUECI DE TE FALAR A COMPANHIA AEREA, E A VUELING AIR COMPANY

GRATO

  • Por: ADRIANO
  • -
  • 29 de maio de 2010 at 16:27

RAQUEL, ESTOU EMBARCANDO NO DIA 16SEP DE PARIS PARA BARCELONA NO AEROPORTO DE ORY/BCN ENCONTREI PASSAGEM POR 100 REAIS, MAIS A MINHA DUVIDA E QUANTO A BAGAGEM, QUAL O PERMITIDO PARA DESPACHO, SE EU LEVAR UMA DAQUELAS MALAS DE MAO ELA PODE EMBARCAR COMIGO CORRETO?OU TEM O PESO APROPRIADO PARA A BAGAGEM DE MAO?VC TEM NOÇAO DE QUANTO CUSTA UM EXCESSO PARA ESSE TRECHO?

GRATO
ADRIANO

  • Por: nelson
  • -
  • 28 de maio de 2010 at 20:09

Raquel, quero ir de madrid a lisboa , passando por granada, cordoba, sevilha e evora, de onibus ou trem, onde eu compro os passes?

  • Por: Rachel Verano
  • -
  • 28 de maio de 2010 at 15:58

Mariana, foi justamente programando umas férias que descobri… Infelizmente eles não estão operando mais. Me parece que os navios foram vendidos. :-(

  • Por: mariana rib
  • -
  • 28 de maio de 2010 at 15:31

oi Rachel… uma perguntinha quase a ver com este assunto. voce sabe o que aconteceu com a EasyCruise? tento entrar no site deles e nao consigo ver os pacotes de cruzeiros na grecia… sabe o que aconteceu? obrigadinha