Viajar Bem e Barato

Vai viajar com o cachorro? 10 lições aprendidas na pratica

por Rachel Verano em

1) Junte toda a documentação do animal, especialmente o registro e a carteira de vacinação. Se a viagem for nacional e de avião, será preciso ainda um atestado do veterinário emitido menos de dez dias antes (para viagens internacionais, e’ necessário observar as regras de cada pais).

2) Prefira alugar uma casa a ficar em hotel. A infra para animais no Brasil ainda e’ muito restrita e tanto o dono quanto o bicho vao ficar mais livres num territorio neutro.

3) Caso prefira se hospedar em hotel, saiba que o Guia 4 Rodas tem um ícone que distingue todos os estabelecimentos que aceitam pequenos animais. E’ uma mão na roda na hora de escolher. Mas e’ bom saber: alguns hotéis abrem exceções, então em ultimo caso vale perguntar ao fazer uma reserva, mesmo que o icone não esteja no verbete do hotel escolhido. Importante: nunca chegue sem reservas ou com o animal de surpresa! Isso pode comprometer as ferias inteiras.

4) Essa e’ pessoal: se o animal pesar maus de 10 quilos e, portanto, não puder embarcar na cabine do avião, será muito mais confortável para ele viajar de carro (o meu westie Fuca sempre estressado ao ser despachado como carga).

5) Ao viajar de carro, tenha sempre água fresca e planeje paradas a cada três horas. Os animais sofrem mais que a gente com o calor e precisam beber água com frequencia. O cinto de segurança para cachorros e’ um acessório bem útil para manter o animal mais protegido no banco de trás.

6) Nao esqueça de levar a ração que o animal esta’ acostumado a comer. Pode ser difícil encontrar a mesma marca. E uma reeducação alimentar numa rotina tão diferente pode ser maus complicada ainda.

7) Tenha sempre os remédios mais usados na mala. Ninguém merece sair correndo atras de veterinário em cidade desconhecida por causa de um contratempo básico.

8) Animais também passam mal com água da torneira, comida estragada, bactérias. Parece exagerado, mas não e’: cuide da água e da comida dele como da sua. Se ele passar mal o perrengue vai ser seu também, e longe de casa tudo ganha proporções maiores.

9) No verão, tose o pelo do animal mais baixinho para aliviar o calor. Também e’ recomendável fazer o que os especialistas chamam de tosa higiênica, que tira os pelos dos genitais e da barriga, evitando assim possíveis infecções.

10) Estude bem o destino e avalie se realmente vai ser uma boa ideia levar o animal na viagem. Não adianta chegar com um cachorro numa praia cheia, por exemplo. Ele vai ser banido em cinco minutos. Também não muito tem sentido levar para uma cidade grande, onde ele não vai poder entrar em lugar algum. As ferias com os animais são sempre diferentes. E, sabendo antecipar os perrengues, pode ser deliciosa! Caso contrário, e’ de se considerar deixar os pequenos com um amigo ou num hotelzinho de confiança.