El Calafate

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
  • www.elcalafate.gov.ar, www.calafate.com
  • 2902
  • 0h (horário de Brasília)

  • Bariloche 1.025 km, Buenos Aires 2.896 km, Ushuaia 879 km, Punta Arenas 502 km

Ver outros destinos em Argentina »

El Calafate, esta simpática vila às margens do Lago Argentino, uma espécie de Campos de Jordão da Patagônia, recebe os visitantes com excelentes hotéis, boa gastronomia e muitas lojinhas para compras de artesanato e roupas de inverno. Localizada na província de Santa Cruz, berço político de Néstor Kirchner, que governou a Argentina de 2003 a 2007, conta com excelente estrutura e vem se popularizando cada vez mais entre argentinos e forasteiros. Cara e lotada durante os meses de verão, a cidade serve como ponto de partida para visitar o principal símbolo natural da região, o glaciar Perito Moreno, declarado pela Unesco Patrimônio Natural da Humanidade. El Calafate, cujo nome vem do bravo arbusto que sobrevive nessas paragens, também é base para explorar outros destinos na região, como Torres del Paine, no Chile, e El Chaltén, cujos montes Fitzroy e Torre atraem alpinistas de todo o mundo.

COMO CHEGAR

Para chegar à região a partir do Brasil, é preciso voar para Buenos Aires – ou Santiago, no Chile. A Aerolíneas Argentinas (www.aerolineas.com.ar) é a empresa com mais voos para El Calafate partindo de Buenos Aires, Trelew, Bariloche e Ushuaia. Para viagens de carro, a via principal é a Ruta 40, que a liga a cidades como El Chaltén.

COMO CIRCULAR

O Aeropuerto Internacional Calafate está a 23 quilômetros da cidade e um táxi custa em torno de US$ 7. Por ser compacta, El Calafate pode ser explorada a pé, apesar de alguns hotéis e das atrações estarem afastados do Centro. A cidade conta com várias locadoras de carros, os ônibus são frequentes e há agências que organizam os passeios.

ONDE FICAR

El Calafate possui diversos hotéis e pousadas, com os mais diversos níveis de conforto. Há lodges que imitam o estilo de antigas estâncias do século 19, luxuosos e espaços resorts com vista para o Lago Argentino, completos, com spa e restaurante, e simpátivas pousadinhas familiares um pouco mais afastadas do centro, mas com todos os confortos necessários: banheira, aquecimento, TV e grandes camas.

ONDE COMER

Opções de restaurantes é o que não faltam na cidade. A maioria das casas estão concentradas na Avenida Libertador San Martín e arredores. O prato de resistência, onipresente em boa parte dos estabelecimentos, é o cordeiro assado em fogo de chão, uma iguaria local. Peça como entrada algumas empanadas, complemente tudo com um vinho argentino e arremate a refeição com qualquer coisa com doce de leite. Você irá ao céu. Há muitos restaurantes com especialidades italianas, com pizzas e massas, ótimas para aqueles que precisam de bastante energia para aguentar o tranco das caminhadas e atividades ao ar livre. Cafés, bares e lanchonetes também ficam na mesma área.

Informações ao viajante
  • Espanhol
  • Peso argentino
  • 0800-9995500
  • Não é necessário.
  • Para entrar na Argentina, nenhuma vacina é obrigatória.
  • SHIS, QL 2, conjunto 1, casa 19, Brasília (DF)
    (61) 3364-7600
Nos meses de meses de junho e julho, em pleno inverno, o frio é intenso, com ventos fortes e dias mais curtos. De outubro a maio, as temperaturas são mais amenas e perfeitas para caminhadas e visitas aos parques da região.
RECOMENDADOS PELO viajeaqui