Mendoza

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo

Ver outros destinos em Argentina »

Com 1.200 vinícolas – caseiras ou pertencentes a multinacionais –, e cenário da montanha mais alta do continente, Mendoza reúne em um mesmo destino vinho e neve, dois dos assuntos prediletos dos brasileiros que buscam a Argentina para curtir as férias.

Autointitulada Terra do Sol e do Bom Vinho, a região é o centro viticultor mais importante da América do Sul, responsável pela produção de 10 milhões de hectolitros anuais.

Muitas de suas charmosas bodegas recebem visitantes em instalações no Valle Central – setor que compreende os municípios de Godoy Cruz, Guaymallén, Maipú e Luján de Cuyo –, incluindo degustações. Graças à combinação de clima seco e excelente qualidade do solo é que castas de uvas como Malbec, Cabernet Sauvignon, Tempranillo e Chardonnay tornaram os produtos locais tão apreciados mundo afora.

Outro símbolo de Mendoza é o Cerro Aconcágua, a maior montanha do planeta fora da Ásia, cujos títulos como Sentinela de Pedra e Teto das Américas fazem jus aos seus imponentes 6.962 metros de altura. Conquistar seu cume é para poucos, mas apreciá-lo a partir do Parque Provincial Aconcágua, em terreno bem firme, já é suficiente para deslumbrar os visitantes.

COMO CHEGAR

Desde julho de 2015, a GOL realiza voos diretos do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para Mendoza. Os aviões partem às quartas e sábados, e o voo tem duração média de três horas. A volta acontece também às quartas e sábados.

O Aeroporto Internacional Francisco Gabrielli – El Plumerillo fica a cerca de 10 quilômetros do Centro. Os ônibus da linha 60 fazem a rota, e também há táxis disponíveis.

As estradas são boas, e uma bela pedida é fazer o percurso a partir da capital argentina de carro, pela Ruta 7, num trajeto de 1.049 quilômetros. O caminho mais bonito, porém, é a partir de Santiago, no Chile, cruzando a Cordilheira dos Andes. São 360 quilômetros, feitos numa média de seis horas.

COMO CIRCULAR

Para desbravar o Centro, o melhor é caminhar, contando com táxis para vencer as distâncias maiores. Já para visitar as vinícolas é necessário estar motorizado.

Informações ao viajante
  • Espanhol
  • Peso argentino
  • 0800-9995500
  • Não é necessário.
  • Para entrar na Argentina, nenhuma vacina é obrigatória.
  • SHIS, QL 2, conjunto 1, casa 19, Brasília (DF)
    (61) 3364-7600
Viajar para Mendoza no inverno tem a vantagem de poder combinar visitas a vinícolas e diversão nas estações de esqui (Las Leñas, por exemplo). As flores que colorem o cenário são os atrativos da primavera, de setembro a novembro.
Comente