Arraial d’Ajuda

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
  • www.arraialdajudaportal.com.br/
  • 11.411 hab
  • 73
  • Bahia

  • Porto Seguro: 4 km (mais dez minutos de balsa); Itabuna: 273 km; Teófilo Otoni: 500 km; Vitória: 597 km; Salvador: 728 km

Se você procura um lugar para chamar de seu, um forte candidato está aqui. a areia macia e o mar calmo, cristalino e de cor deslumbrante – uma mistura de azul e verde – fazem do lugar uma combinação perfeita para casais, jovens e famílias que buscam um cenário de contemplação. a praia mais indicada é a pitinga. Com boa oferta de pousadas e charmosas barracas com espreguiçadeiras, tem sua paisagem realçada pelas imponentes falésias. aos que não abrem mão do sossego, taípe é a mais deserta e preservada do litoral. mas a vila não deixa ninguém na mão. Aos que buscam mais agitação, a Rua do Mucugê reúne bares, restaurantes, lojinhas bacanas e casas noturnas. É sempre movimentada, principalmente a partir das 16h.

ONDE FICAR

Na areia da praia estão os hotéis e pousadas de grande estrutura, geralmente frequentados por famílias. Há também um bom número de hospedagens ao longo da estrada que liga a balsa à Rua do Mucugê – ficar nesse trecho significa utilizar van, ônibus, carro ou táxi para ir às praias mais turísticas, como a da Pitinga e do Mucugê, e ao centrinho. Os arredores da Rua do Mucugê concentram grande parte das pousadas para casais. Em todos os lugares, os preços baixam até 50% entre março e outubro (com exceção de julho, mês de férias escolares).

Estrelado pelo GUIA QUATRO RODAS 2013, o Arraial ’Ajuda Eco Resort reserva acesso livre ao Arraial d’Ajuda Eco Parque, piscinas naturais, bangalôs de massagem e ainda um restaurante com vista para o Rio Buranhém. Também estrelado, o Casa Grande de São Vicente fica em uma mansão de estilo colonial, a dez minutos da praia. Lá, o café da manhã não tem hora para acabar.

Entre os estrelados ainda estão a Pousada Beijamar, pé na areia, com quartos no meio da restinga, entre deques de madeira sobre a água; o Maitei, localizado na badalada Rua do Mucugê; e a Pousada Vila do Beco, com clima de chácara do interior e mirante que dá para as praias de Araçaípe e Pitinga.

A Rua do Mucugê concentra pousadas com bons preços, como a Tororão, Caminho do Mar, do Robalo e Bucaneiros, mas os albergues Maloca Hostel e Arraial d’Ajuda Hostel são as opções mais acessíveis.

ONDE COMER

No almoço, as barracas de praia ficam cheias (dentre elas, a melhor opção para comer é a Barraca do Nel). A partir das 16h, boa parte dos restaurantes do Centro abre as portas, atraindo gente para a Rua do Mucugê e arredores. Na baixa temporada os restaurantes

Os pescados são maioria nos cardápios, como no Rosa dos Ventos, no Flor do Sal e no Valentino – lá, os pescados saem do tanque direto para a panela. O Morena Flor, no Centro, serve os melhores acarajés de Arraial.

Entre as comidinhas, o Coelhinho serve sorvetes artesanais, o Paiol, pães de mel, tortas e docinhos próprios, e a Tapiocaria d’Ajuda, tapiocas doces e salgadas.

COMO CHEGAR

O aeroporto mais próximo é o de Porto Seguro. A travessia de balsa dura cerca de dez minutos (saídas a cada 30 minutos; entre 1h e 7h, a cada uma hora). De carro pela BR-101, tome a saída em Eunápolis – de lá são cerca de 70 km até Arraial.

COMO CIRCULAR

Atrações, pousadas, barracas e restaurantes concentram-se em dois pontos: a Estrada da Balsa e a Rua do Mucugê. A Estrada da Balsa é via de entrada para quem vem de Porto Seguro e dá acesso direto à praia. Para chegar ao Centro, a caminhada é longa, seja pela praiaou pela estrada (o que inclui a subida da falésia), mas vans fazem o trajeto ao longo de todo o dia. Na Rua do Mucugê e arredores, circule a pé. Para quem se hospeda nas estradas do Alto Mucugê ou da Pitinga, o mais indicado é ir com carro próprio para se deslocar entre as praias.

SUGESTÕES DE ROTEIROS

1 dia – É fundamental conhecer as principais praias da cidade. Em um trajeto que pode ser percorrido em cerca de duas horas a pé, de acordo com a velocidade do turista, caminha-se da primeira praia do distrito, Apago-Fogo, até a mais movimentada, a Pitinga. Durante o percurso, faça uma parada em uma das barracas de praia (a Donel é uma ótima opção) para provar pescados frescos. Depois que o sol se for, não perca o agito da Rua do Mucugê.

3 dias – Aproveite que tem mais tempo para curtir com calma as principais praias. Vale a pena reservar um dia inteiro para ir a Taípe, mais preservada, a 14 quilômetros do Centro, e outro para a Pitinga. Se quiser dar uma pausa nos banhos de sol e mar, você também pode incluir no roteiro visitas aos parques de ecoturismo. O Arraial d’Ajuda Eco Parque tem enormes toboáguas de água doce e o Awaventura, área com trilhas, arvorismo e tirolesa.

6 dias – Não deixe de visitar os arredores. Para chegar a Porto Seguro, basta pegar uma balsa. Também é possível fazer passeios de van até as lindas praias que ficam ao sul de Arraial d’Ajuda: Trancoso, Caraíva e Praia do Espelho. Se a viagem for entre os meses de julho e outubro, faça o passeio de barco para ver a baleias-jubarte. Já em qualquer época do ano – fique atento com a maré – visite os recifes de corais.

QUANDO IR

O sol aparece o ano inteiro, mas principalmente entre novembro e março. Nesse período em julho, mês de férias escolares, os preços podem até dobrar. De maio a junho, o sossego prevalece, mas alguns restaurantes e pousadas fecham.

BARRACAS DE PRAIA

Na Praia do Pitinga, a Barraca do Faria tem playground e piscina sombreada à beira-mar. A Flor do Sal, espreguiçadeiras, cadeiras acolchoadas – e um chef argentina que faz comida tailandesa e moquecas. Na Praia do Parracho, a Cabana Grande reserva mesas, espreguiçadeiras e sofás de madeira em um dos trechos mais agitados do Arraial. A Bara do Parracho, lota no verão com shows de axé e promove festas no Carnaval e no Réveillon.

VIDA NOTURNA

A Rua do Mucugê concentra o movimento. O Morocha Club (73-3575-2611) promove festas de segunda a sábado, com bandas e DJs – o som varia de Tim Maia e Beatles até música argentina. Aos domingos, a vez é do T.A Sushi, com apresentações de forró e ritmos africanos. No verão, barracas incluem festas e luaus em sua programação.

por Liliane Finco