Cuiabá

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo

Cidade do agronegócio, a capital do terceiro maior estado brasileiro em extensão territorial vive um período de transformação urbana por causa da Copa. A rede hoteleira, que já crescia, pegou carona no evento e novos empreendimentos continuam surgindo.

Cuiabá é bom destino para saborear os diversos tipos de peixes vindos dos inúmeros rios da região, além de contar com o melhor restaurante do Centro-Oeste, o contemporâneo Mahalo, premiado com duas estrelas pelo GUIA BRASIL 2014. Cercada pelos biomas Amazônico, Pantanal e Cerrado, a cidade flerta com destinos importantes: o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, a 70 km; o Pantanal Norte, a 100 km; e o polo turístico que mais cresce no estado, Nobres, a 150 km.

E vale lembrar que o fuso horário no estado é atrasado uma hora em relação a Brasília.

COMO CHEGAR

A BR-364, desde Goiás, e a BR-163, a partir de Mato Grosso do Sul, são os principais acessos para quem vem de Brasília e das capitais do Sul e Sudeste. A BR-070 para Rondônia e a sequência da BR-163 para Santarém – esta com grandes trechos de terra no estado do Pará – ligam a capital mato-grossense aos estados da região Norte. O Aeroporto Marechal Rondon fica na vizinha cidade de Várzea Grande, a 8 km do Centro de Cuiabá, e recebe voos das principais capitais brasileiras. Uma corrida de táxi até o Centro custa, em média, R$ 46.

COMO CIRCULAR

Não é muito complicado circular por Cuiabá, mesmo com uma população de mais de 800 mil habitantes (levando-se em conta também a vizinha Várzea Grande, onde fica o aeroporto). Avenidas radiais – como a Fernando Corrêa da Costa, a Historiador Rubens de Mendonça, a Getúlio Vargas, a Isaac Póvoas e a Tenente Coronel Duarte – ligam o Centro às extremidades da capital, e há ainda um grande anel viário (Avenida Miguel Sutil) que circunda toda a área central.

HOTÉIS

O crescimento do agronegócio e a escolha da cidade como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014 fizeram crescer o número de hotéis nos últimos anos. Com perfil executivo, caracterizado por acomodações compactas e poucas áreas de lazer, eles devem ter os valores das diárias duplicados no período do evento esportivo. Depois, a expectativa é que a oferta de leitos puxe os preços para baixo.

PROGRAME-SE

Faz calor o ano inteiro, com termômetros batendo acima dos 30°C. Os meses de verão concentram as chuvas (que rareiam no inverno). Nos dias úteis, o público de negócios movimenta os hotéis.

ONDE COMER

Na cidade predominam receitas com pescados. A cena gastronômica concentra-se na região central, em Goiabeiras, Duque de caxias, Popular e Quilombo.

SUGESTÃO DE ROTEIROS

2 dias - Dá para conhecer um pouco da história da cidade visitando algumas de suas principais construções, como a Igreja de Nossa Senhora do Bom Despacho e a Catedral Basílica Bom Jesus de Cuiabá, na Praça da República, com alguns prédios históricos. Não deixe de provar um dos pratos do recém-reformado duas-estrelas Mahalo, de cozinha contemporânea. No segundo dia, aproveite para comprar artesanato do estado na Casa do Artesão e deleitar-se no rodízio de peixes do Lélis Peixaria. Curta o fim de tarde como um típico cuiabano no Parque Mãe Bonifácia. Depois, dirija-se até a Praça Popular e escolha um dos bares ao redor para terminar a noite.

4 dias -  Aproveite a proximidade com a Chapada dos Guimarães e explore as trilhas, grutas e cachoeiras do Parque Nacional e arredores. Depois das atividades, curta o clima pacato da pracinha da cidade.

8 dias - Com pouco mais de uma semana, dá para conhecer uma boa amostra dos principais destinos turísticos do estado. Siga para o Pantanal e invista numa das pousadas da Transpantaneira, em Poconé, com direito a safári fotográfico, focagem noturna e passeio de barco. Depois, ainda dá tempo de rumar para Nobres, tomar banho nas cachoeiras e flutuar nas águas cristalinas dos rios da região.

RAIO X

-História: 15°35’56’’S e 56°06’05’’O. Essas coordenadas não levam apenas até a Praça Moreira Cabral, onde fica a Câmara Municipal. Elas indicam exatamente o Centro Geodésico da américa do sul. Calculado pelo marechal cândido Rondon, em 1909, o local guarda um enorme obelisco e marca o ponto equidistante entre os oceanos Atlântico e Pacífico.

-Noite: Às sextas e aos sábados, boêmios se encontram nos bares da Praça Popular. No Água Doce (R. Senador Vilas Boas), o forte é a variedade de cachaças. O Ditado Popular (R. Pres. Eurico Gaspar Dutra) tem música ao vivo e rodízio de petiscos. Já o Stones Bar (R. Senador Vilas Boas) é point de roqueiros. Perto dali, a Valley (Av. Isaac Póvoas, 1157) tem noites sertanejas.

(por Luiz Giannoni)