Porto de Galinhas

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
Roteiro Relacionado

O fascínio dos brasileiros pela vila que, em outros tempos, já teve um status de segredo bem-guardado, continua crescendo embora sua principal atração, as piscinas naturais que trouxeram fama ao lugar, esteja, aos poucos, perdendo a beleza. Todos os anos, pelo menos 800 mil turistas (parte deles a bordo de ônibus de excursões) desembarcam em Porto de Galinhas em busca da boa rede hoteleira (com confortáveis resorts e também charmosas pousadinhas), da gastronomia nordestina e dos passeios de bugue e jangada. Para alegria de quem curte ir às compras, uma dica: as ruazinhas de terra do vilarejo escondem lojas descoladas, ateliês e grifes modernas. Tudo a preços mais convidativos que em outras concorrentes do Nordeste.

ONDE FICAR

A grande maioria das pousadinhas e hotéis simples fica no centro da vila. A região é boa por conta da grande oferta de comércio, restaurantes, serviços, transportes públicos e saídas de passeios turísticos. É bom também para quem curte a noite, dividindo-se entre bares e baladas. Mas, exatamente por isso, não espere muito sossego.

Para quem quer mais conforto e praias quase que exclusivas, considere os resorts e hotéis ao norte, em Muro Alto e Cupe. Aqui estão endereços como Nannai, Summerville, Beach Class, Enotel, Pontal Ocaporã e Marulhos, os melhores da região, com grandes piscinas, acomodações modernas e pé na areia. Todos são ofertas bem interessantes, mas alguns são especialmente recomendáveis para quem viaja com crianças (Enotel, Summerville e Beach Class), enquanto que o Nannai cai melhor com casais (apesar da boa estrutura de lazer para as famílias). A novidade é o Best Western Plus Vivá. Boa parte da orla é tomada por piscinas naturais e a distância até a vila (10 km) é vencida com serviços próprios dos hotéis ou táxi.

Ao sul, o Serrambi Resort destaca-se por sua infraestrutura para esportes náuticos, incluindo lancha e jets-ski. E a boa notícia é que a estrada até lá está sendo asfaltada. Há também opções de hospedagem em Maracaípe (4 km da vila), famosa pelas boas ondas.

Para quem quer economizar, as dicas de diárias mais em conta na alta temporada são o Aconchego do Porto, Aldeia dos Anjos, Marahú, Porto do Colibri e Recanto do Lobo.

Lembre-se que boa parte dos resorts trabalha sob os sistemas de meia-pensão ou all-inclusive.

Aqui você encontra mais dicas de hotéis, resorts e pousadas em Porto de Galinhas.

ONDE COMER

A maior parte dos restaurantes se encontra na vila. Os pescados são o foco dos cardápios, como no estrelado Beijupirá. Se quiser fugir dos frutos do mar, prove a saborosa galinha ao molho pardo do Cabidela da Natália. Para beliscar, há boas opções de comidinhas, com destaque para os escondidinhos do BarCaxera e os caranguejos frescos da barraca Estrela do Mar.

Mais dicas de restaurantes em Porto de Galinhas.

COMO CHEGAR

Para quem vem de outros estados, a maneira mais fácil é descer no aeroporto de Recife (localizado na vizinha Jaboatão dos Guararapes) e pegar a rodovia BR-101 rumo ao litoral sul. Em Cabo de Santo Agostinho, pegue a saída para a PE- 060 e siga até o trevo de Ipojuca. De lá, são mais 15 km até Porto de Galinhas pelas PE-038 e PE-009. A Viação Cruzeiro (81/2101-9037, de R$ 5,70 a R$ 10,40) opera uma linha de ônibus que sai da rodoviária da capital pernambucana em direção ao centrinho do balneário (trajeto de duas horas); algumas hospedagens e agências incluem nos pacotes o traslado aeroporto-hotel.

COMO CIRCULAR

Em épocas de muita chuva, as ruas de terra do centrinho da vila formam verdadeiras "piscinas naturais"; nessas ocasiões, prefiracircular a pé por ali. Para ir às praias e atrações mais afastadas, pegue um táxi (os valores não ultrapassam R$ 35) ou negocie com os bugueiros (dê preferência aos motoristas credenciados na cooperativa) que fazem o passeio conhecido como "ponta a ponta". A maioria dos hotéis afastados do Centro inclui na diária o traslado até lá.

SUGESTÃO DE ROTEIROS

2 dias - é o suficiente para fazer o tão falado passeio de jangadas às piscinas naturais, jantar no estrelado Beijupirá e ainda conhecer as principais praias durante um passeio de bugue, no trajeto conhecido como "ponta a ponta", que vai de Muro Alto até o Ponta de Maracaípe. Lá, faça o passeio para ver os cavalos-marinhos e prove o caranguejo fresquinho do Estrela do Mar.

4 dias - Não deixe de visitar a belíssima Praia de Carneiros, em Tamandaré. Se o objetivo for passar o dia lá, opte por ir de bugue, assim você fica o tempo que quiser. Caso o objetivo seja conhecer mais lugares, faça o passeio de catamarã, com parada na Ilha de Santo Aleixo e almoço no manguezal. Aproveite o tempo livre para descansar na Praia de Muro Alto, uma das melhores de Porto de Galinhas. No caminho, experimente a galinha ao molho pardo preparada no Cabidela da Natália.

7 dias - com uma semana você tem tempo de sobra para aproveitar bem a viagem. Faça o mergulho com cilindro nas piscinas naturais. Existem também passeios de bugue mais longos, como o que vai à Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Você ainda pode conhecer o Centro Histórico de Olinda ou as principais atrações de Recife, como o Recife Antigo, os museus Brennand e a Capela Dourada.

Mais dicas em nosso roteiro rodoviário de Maceió a Recife.

QUANDO IR

Faz calor o ano todo em Porto de Galinhas. De novembro a fevereiro, o fluxo de turistas é mais intenso e os hotéis ficam mais caros. Entre agosto e outubro, os preços são mais acessíveis e o movimento é menor. De março a agosto costuma chover muito.

VIDA NOTURNA

A noite rola centrinho da vila. O eclético Birosca da Cachaça promove um animado bailão às segundas-feiras, a partir das 21 horas, com professores de dança de salão que ensinam a gafieira, bolero e salsa. Também às segundas, o Traga Luz tem apresentação de danças regionais. O Lua Morena ferve com bandas de forró às quintas e aos sábados.

COMPRAS

O centrinho possui uma série de lojinhas que traz das indefectíveis camisetas de turista a comidas típicas pernabucanas, incluindo doces e cachaças. Para sair da mesmice, tente o Carcará Artes Plásticas e o Dèja Vu Bijuterias. Passe também no Gatos de Rua, na Galeria Paraoby, que nasceu como projeto social e hoje  traz objetos de decoração descolados, como luminárias, mesas e bancos.

PRESERVAÇÃO

A vida marinha nas piscinas naturais vem diminuindo ao longo dos anos. Hoje, são visíveis por lá apenas duas espécies de peixes e alguns crustáceos. Para colaborar na preservação, evite mergulhar ou pisar nas áreas restritas, indicadas pelos fiscais. Em contrapartida, o número de cavalos-marinhos, símbolo do Pontal de Maracaípe, aumentou nos últimos tempos graças a criações em cativeiro no Projeto Hippocampus.

Comente