Porto de Galinhas

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo

Porto de Galinhas deve muito de sua fama ao imenso conjunto de recifes que fica próximo da orla. Por causa dele, a vila de pescadores transformou-se num respeitável polo turístico a partir do início dos anos 90: viajantes de todos os cantos do Brasil aportavam na vila para embarcar em jangadas e conhecer os recifes e piscinas naturais. Surgiram hotéis, pousadas, resorts, condomínios residenciais e casas de veraneio para atender a um número crescente de visitantes.

Tanta gente pisou nos recifes que a destruição da vida marinha foi inevitável. Nos últimos anos, o passeio praticamente foi relegado a segundo plano, perdendo espaço para os tours de bugue, as praias do sul ou mesmo as atividades dos resorts. Medidas foram tomadas, em 2014, para a recuperação desse patrimônio – agora, monitores controlam o acesso e limitam o tempo do passeio e a área visitada. Resta saber quanto tempo vai levar para que a medida dê resultado. Enquanto isso, os bugues, as praias e os resorts continuarão garantindo a diversão.

UM DIA PERFEITO

O horário de saída para o passeio de jangada às piscinas naturais depende da maré baixa. De posse dessa informação, divida o dia em dois períodos. Reserve uma hora para fazer a clássica atividade, tempo necessário para a embarcação ir e voltar dos corais. O outro período do dia pode ser dedicado ao passeio de bugue, chamado de “ponta a ponta”: pela areia ou por estradas asfaltadas, o roteiro contempla as praias de Muro AltoCupe, da Vila e Maracaípe. Para encerrar o dia, aposte nas criativas receitas do Beijupirá.

O GUIA RECOMENDA

No passeio de bugue você já identifica as praias para as quais deseja voltar. Como Maracaípe, por exemplo. Bem mais preservadas que as piscinas naturais de Porto de Galinhas, as piscinas de Maracaípe, a apenas 3 km da Vila, têm vida marinha mais presente. Na mesma praia, barqueiros navegam pelo Rio Maracaípe com o objetivo de mostrar cavalos-marinhos para os viajantes. Da Barra de Sirinhaém, a 34 km de Porto, parte o passeio de catamarã até a Praia dos Carneiros, em Tamandaré, que dura seis horas. Mas a praia, com coqueiros, piscinas naturais e mar de águas transparentes, merece um dia inteiro só para ela. Nesse caso, faça o passeio de bugue a partir de Porto ou vá com carro próprio – são 62 km até lá.

COMO CHEGAR

Boa notícia para quem viaja a Porto de Galinhas a partir do Aeroporto Internacional de Recife/Guararapes (porta de entrada do estado) ou do Centro de Recife: uma extensão da PE-009 (duplicada e pedagiada) foi construída, diminuindo a distância em 15 km – não é mais preciso atravessar as áreas urbanas de Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca. Ainda assim, um trecho movimentado da BR-101 leva à PE-009. A pista duplicada termina em Nossa Senhora do Ó (dali até Porto são 11 km em pista simples com ótimas condições).

A Viação Cruzeiro (81/2101-9018; de R$ 7,40 a R$ 10,90; duas horas de viagem; saídas a cada hora) opera uma linha de ônibus que parte do terminal Cais de Santa Rita, no Centro de Recife, e vai direto ao centrinho de Porto.

COMO CIRCULAR

Não é difícil se locomover por Porto de Galinhas. Quem está na Vila está perto de tudo. E alguns hotéis e pousadas mais afastados têm traslado até ali em horários determinados – a consistente frota de táxis também auxilia na locomoção pela região. Para conhecer as praias, uma boa pedida é fazer o passeio de bugue “ponta a ponta”, que passa por toda a orla. Se a Vila está toda asfaltada, algumas vias de acesso às praias ainda são de terra – em época de muita chuva, verdadeiras piscinas são formadas, dificultando a passagem.

ONDE FICAR

Em que pesem algumas exceções, a hotelaria se divide em três perfis gerais: resorts afastados da vila e próximos das praias do Cupe e de Muro Alto; pousadas de pequeno e médio porte, no centrinho da Vila; e hospedagens de proposta rústica ou voltadas para surfistas, na Praia de Maracaípe.

A maioria dos hotéis pé na areia está em áreas de mar agitado – como Maracaípe, Borete e parte das praias do Cupe e Muro Alto –, o que explica em certa razão os investimentos em grandes piscinas, no caso dos resorts. Novidade em 2014, o Enotel Acqua Club tem como principal trunfo um parque aquático voltado a crianças e adolescentes.

Entre as pousadas próximas da praia e com vista para o mar, a Arandu tem preços mais baixos: R$ 200 na baixa e R$ 300 na alta temporada. Das mais novas, a Unaí tem boa relação custo-benefício: diárias a partir de R$ 139 na baixa e R$ 169 no verão.

ONDE COMER

Peixes e frutos do mar predominam nos cardápios de Porto (como, por exemplo, no estrelado Beijupirá). A maioria dos restaurantes está concentrada na Vila de Porto de Galinhas. Na Praia do Cupe, a já famosa galinha ao molho pardo da Cabidela da Natália faz sucesso há duas décadas. Outras duas boas experiências gastronômicas locais são os caranguejos frescos do Estrela do Mar e os escondidinhos do Barcaxeira.

SACOLINHA

Quem passa pelo calçadão da Rua da Esperança (a principal da Vila) não deixa de notar a sedutora e coloridíssima vitrine da loja Gatos de Rua. Descolado, o lugar vende itens que vão de roupas a chaveiros – boa parte feita a partir da reciclagem de garrafas pet.

ARTES

O artesão Carcará, famoso por esculpir galinhas com raízes de coqueiros, agora tem uma exposição permanente, ao ar livre. É a Mitos do Mundo, com esculturas de famosos espalhadas pelas ruas da Vila. Amy Winehouse, Elvis Presley, Frida Kahlo e Michael Jackson convidam para uma foto.

NOITE

A Vila concentra o movimento. O eclético Birosca da Cachaça é point de paquera – especialmente às sextas e sábados, quando recebe DJs que tocam vários ritmos. Para curtir um bom forró, o Lua Morena (3552-1877) é a pedida certa às quartas e sábados – na quinta, o ritmo é o sertanejo.

QUANDO IR

O clima é quente durante o ano inteiro. Entre setembro e novembro, o sol aparece com maior frequência e os preços são menores do que os praticados entre dezembro e março.

Por Fernando Leite

Comente