Porto de Galinhas

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo

De vila para chamar de sua, em outros tempos, Porto de Galinhas tornou-se de muitos, e há tempos. Se por um lado as piscinas naturais que lhe deram fama deixaram de ser o principal atrativo, devido ao fluxo desordenado de turistas, por outro, a beleza de praias como Muro Alto e Maracaípe ainda é exuberante. E os vários resorts, com bom parque aquático, e pousadas charmosas também atraem – e muito – famílias e casais. Além disso, há um centrinho facilmente acessível onde se encontram bons restaurantes e bares. Ali, o movimento começa no fim de tarde e dura até o começo da madrugada. Para quem gosta de passeios de barco, considere o de jangada às piscinas naturais de Maracaípe, a 3 km da vila central e hoje com vida marinha mais bem-preservada.

ONDE FICAR

Porto de Galinhas tem hospedagens para todos os gostos. Se a intençãoé usufruir as praias, vale observar se a do seu hotel não tem mar agitado. A hotelaria local se divide em três regiões: resorts afastados da vila e próximos das praias do Cupe e Muro Alto, com perfil familiar; pousadas de pequeno e médio porte no centrinho de Porto; e hospedagens de atmosfera rural ou para fãs de surfe e ecoturismo, naPraia deMaracaípe.

ONDE COMER

A maior parte dos estabelecimentos fica na Vila de Porto de Galinhas. Os pescados são o foco dos cardápios. se quiser variar, vá ao Cabidela da Natália e prove a saborosa galinha ao molho pardo.

COMO CHEGAR

Para quem vem de outros estados, a maneira  mais fácil é descer no aeroporto de Recife  (localizado na vizinha Jaboatão dos Guararapes)  e pegar aRodoviaBR-101 rumo ao litoral sul.  Em Cabo de Santo Agostinho, pegue a saída para  aPE- 060 e siga até o trevo deIpojuca. De lá, são mais15 km até Porto deGalinhas pelasPE-038  ePE-009. A ViaçãoCruzeiro (81/2101-9018,  deR$ 7,40 aR$ 10,90; 1h30 de viagem, saídas  a cada hora) opera uma linha diária de ônibus  a partir do terminal Cais de Santa Rita, no bairro  SãoJosé, na região central deRecife, em direção  ao centrinho do balneário.

COMO CIRCULAR

Em épocas de muita chuva, as ruas de terra que dão acesso aos hotéis formam verdadeiras "piscinas naturais". No centro daVila, a maioria das vias jáé asfaltada e o acesso até lá é fácil – se estiver sem carro, chame um táxi. Para ir às praias e atrações mais afastadas, negocie com os bugueiros (prefira os credenciados na cooperativa), que fazem o passeio conhecido como "ponta a ponta". Alguns hotéis e pousadas mais afastados têm traslado com saídas diárias para o centrinho.

SUGESTÃO DE ROTEIROS

2 dias - é o suficiente para fazer o tão falado passeio de jangadas às piscinas naturais, jantar no estrelado Beijupirá e ainda conhecer as principais praias durante um passeio de bugue, no trajeto conhecido como "ponta a ponta", que vai de Muro Alto até o Ponta de Maracaípe. Lá, faça o passeio para ver os cavalos-marinhos e prove o caranguejo fresquinho do Estrela do Mar.

4 dias - Não deixe de visitar a belíssima Praia de Carneiros, em Tamandaré. Se o objetivo for passar o dia lá, opte por ir de bugue, assim você fica o tempo que quiser. Caso o objetivo seja conhecer mais lugares, faça o passeio de catamarã, com parada na Ilha de Santo Aleixo e almoço no manguezal. Aproveite o tempo livre para descansar na Praia de Muro Alto, uma das melhores de Porto de Galinhas. No caminho, experimente a galinha ao molho pardo preparada no Cabidela da Natália.

7 dias - com uma semana você tem tempo de sobra para aproveitar bem a viagem. Faça o mergulho com cilindro nas piscinas naturais. Existem também passeios de bugue mais longos, como o que vai à Praia de Calhetas, em Cabo de Santo Agostinho. Você ainda pode conhecer o Centro Histórico de Olinda ou as principais atrações de Recife, como o Recife Antigo, os museus Brennand e a Capela Dourada.

Mais dicas em nosso roteiro rodoviário de Maceió a Recife.

QUANDO IR

O clima é quente durante o ano inteiro. Mas em setembro, o sol aparece com maior frequência e vai até novembro– quando os preços são mais baixos. Em dezembro, com asfestas, as tarifas costumam subir.

VIDA NOTURNA

A noite rola centrinho da vila. O eclético Birosca da Cachaça promove um animado bailão às segundas-feiras, a partir das 21 horas, com professores de dança de salão que ensinam a gafieira, bolero e salsa. Também às segundas, o Traga Luz tem apresentação de danças regionais. O Lua Morena ferve com bandas de forró às quintas e aos sábados.

COMPRAS

O centrinho possui uma série de lojinhas que traz das indefectíveis camisetas de turista a comidas típicas pernabucanas, incluindo doces e cachaças. Para sair da mesmice, tente o Carcará Artes Plásticas e o Dèja Vu Bijuterias. Passe também no Gatos de Rua, na Galeria Paraoby, que nasceu como projeto social e hoje  traz objetos de decoração descolados, como luminárias, mesas e bancos.

PRESERVAÇÃO

A vida marinha nas piscinas naturais vem diminuindo ao longo dos anos. Hoje, são visíveis por lá apenas duas espécies de peixes e alguns crustáceos. Para colaborar na preservação, evite mergulhar ou pisar nas áreas restritas, indicadas pelos fiscais. Em contrapartida, o número de cavalos-marinhos, símbolo do Pontal de Maracaípe, aumentou nos últimos tempos graças a criações em cativeiro no Projeto Hippocampus.

Por Victoria Khatounian

Comente