Curitiba

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
  • viaje.curitiba.pr.gov.br
  • 1.776.761 hab
  • 41
  • Paraná

  • Florianópolis, 297 km, São Paulo, 411 km, Porto Alegre, 714 km, Rio de Janeiro, 862 km, Belo Horizonte, 1013 km, Brasília, 1402 km

Há quem diga que Curitiba é a capital mais europeia do país. Para alguns, o título se justifica pelas áreas verdes. Para outros, o que faz diferença é a organização do trânsito e do transporte público.

O frio colabora, e muito, para essa atmosfera: no inverno de 2013, chegou a nevar na cidade. Para entrar no clima, nada como visitar um de seus mais importantes cartões-postais: o Jardim Botânico, de estilo francês. No Centro, uma caminhada revela boas surpresas, como o Solar do Barão. E o Museu Oscar Niemeyer continua imperdível, assim como as irresistíveis feirinhas do Largo da Ordem e da Praça da Espanha.

Na gastronomia, Curitiba também agrada, tanto nas cantinas de Santa Felicidade como nos badalados restaurantes do Batel.

COMO CHEGAR

O Aeroporto Afonso Pena fica no município de São José dos Pinhais, a 18 km. Para chegar ao Centro, pegue um táxi (R$ 50, em média), um ônibus executivo (R$10, www.aeroportoexecutivo.com.br) ou um “ligeirinho”, o ônibus comum (R$ 2,60, saídas da estação-tubo ao lado do estacionamento). Os dois últimos param na rodoferroviária, na região central, perto de hotéis (e aonde chegam ônibus interestaduais). De carro, o acesso é pela BR-116 (de São Paulo ou Porto Alegre), pela BR-277 (do litoral ou de Foz do Iguaçu) e pela BR-376 (de Ponta Grossa ou Joinville).

COMO CIRCULAR

No Centro, prefira chegar a pé ou de táxi, pois há poucas vagas para estacionamento. Os ônibus, que fizeram de Curitiba um modelo de transporte público, já não estão na melhor fase, mas ainda são a opção mais eficiente.

Os “tubos”, as estações de integração, permitem trocar de veículo sem pagar nova passagem. As avenidas Visconde de Guarapuava e 7 de Setembro ligam a região central ao bairro Batel. Os parques ficam mais afastados, mas ciclovias interligam as áreas verdes.  À noite, a melhor opção é o Leva e Traz, serviço gratuito de vans que busca o turista no hotel e leva a bares e restaurantes.

HOTÉIS

O turismo de negócios deixa cheios os hotéis de segunda a sexta-feira. Todos têm internet, mas os estacionamentos em muitos deles é cobrado à parte. Nos fins de semana, as diárias caem até 25%. Para não usar o carro, fique no Centro. Ali, você está a poucos passos dos teatros, shoppings e prédios históricos. Outro bom bairro é o Batel. Nele se concentram bares, restaurantes e baladas.

PROGRAME-SE

Em dezembro, quando as diárias são mais baixas, a cidade torna-se a Capital do Natal. Em fevereiro e março, hotéis ficam lotados por causa da Oficina de Música e do Festival de Teatro. No inverno, faz muito frio.

ONDE COMER

Centro e Batel concentram a maior parte dos bares e restaurantes. Com grande movimento à noite, as paralelas Avenida do Batel e Alameda D. Pedro II são cheias de opções. Nesta última fica o estrelado Manu, de cozinha contemporânea. Mais recentemente, os bairros Alto da XV e Cabral têm incorporado novos bistrôs e endereços arrojados – entre as novidades do GUIA BRASIL 2013, do GUIA QUATRO RODAS, estão a Forneria Copacabana e a Casa Paco. Quem busca tradição tem destino certo: os rodízios italianos de Santa Felicidade, nos almoços de domingo.

SUGESTÕES DE ROTEIROS

2 dias - Pegue o ônibus da Linha Turismo para conhecer de uma vez só as melhores atrações da cidade. Aproveite as paradas para ver cartões postais como o Jardim Botânico, o Teatro Ópera de Arame e o Museu Oscar Niemeyer. Os parques merecem uma visita com mais tempo – o Tanguá é o mais bonito e o Barigui, o maior e mais famoso. As receitas “tecno-emocionais” do contemporâneo Manu e os pratos do Durski estão entre as melhores experiências que a cidade oferece.

3 dias - Passeie com calma pelo Centro Histórico para encontrar atrações como o Museu Paranaense, o Solar do Rosário e o Solar do Barão. Pelo caminho você encontra o restaurante Madero, que prepara um ótimo hambúrguer, e o delicioso Café do Paço. Todos os dias, o Passeio de Trem parte da capital com destino a Morretes e Paranaguá. O trajeto, com túneis, pontes e a paisagem da Serra do Mar, é inesquecível.

5 dias -  Aproveite o fim de semana para fazer programas típicos dos moradores: passear entre as barracas das feirinhas do Largo da Ordem e da Praça da Espanha e almoçar no tradicional bairro de Santa Felicidade, com seus restaurantes italianos. Outro programa interessante é visitar a vizinha Lapa, a menos de uma hora da capital. O Centro Histórico da simpática cidade preserva construções como a Igreja Matriz de Santo Antônio, do século 18.

RAIO X

-Bom e Barato: Uma viagem gastronômica ao redor do mundo por menos de R$ 40! A cada dia da semana, o estrelado Quintana traz à sua "mesa gastronômica” receitas de diferentes culturas – pratos asiáticos, mediterrâneos e até brasileiros são executados com produtos orgânicos e servidos no bufê (R$ 29 nos dias úteis, R$ 39 nos fins de semana).

-Noite: A vida noturna de Curitiba é efervescente. No Batel estão as principais casas, como o badaladíssimo James Bar – que costuma ter fila na porta – e os descolados Liqüe e V.U. Bar. Para quem gosta de cerveja, há bares especializados: o Clube do Malte e o Hop’n Roll Beer Club, onde você pode produzir a própria bebida.

-Típico: Em Curitiba, faça como os curitibanos: tome um café da manhã no Mercado Central, especialmente aos fins de semana. A praça de alimentação, que já fazia sucesso com os sanduíches e pastéis, foi reforçada com uma área de produtos orgânicos – ótima para quem quer tornar mais saudável a primeira refeição do dia.

(Por Luiz Felipe Silva)

Comente