Foz do Iguaçu

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
  • fozdoiguacu.pr.gov.br
  • 255.718 hab
  • 45
  • Paraná

  • Cascavel: 141 km; Guaira: 233 km; Maringá: 411 km; Curitiba: 648 km.

O avião que corta o céu paranaense já mostra todos os sinais da “Torre de Babel” que é a Tríplice Fronteira (Brasil, Argentina e Paraguai). Com tantos estrangeiros a bordo, o inglês praticamente rivaliza com o português como “idioma oficial” do voo. Segundo o Parque Nacional do Iguaçu, o número de visitantes estrangeiros em 2013 foi de 49% – turistas longínquos de Benim (na África), Nauru (na Oceania) e Palau (na Micronésia), por exemplo, passaram pelas catracas, não só do lado brasileiro como também do argentino, para se impressionar com o conjunto formado por um cânion e suas 275 quedas-d’água, uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza. Mas a visita à região vai bem além das Cataratas. Os restaurantes de Puerto Iguazú servem ótimas carnes, Ciudad del Este é famosa pelas compras com preços módicos e Foz conta com o gigantismo da Usina Hidrelétrica de Itaipu e o exótico Parque das Aves.

UM DIA PERFEITO

O lado brasileiro das Cataratas oferece a melhor visão das quedas, que, em sua maioria, ficam na Argentina. Então, madrugue e embarque em um dos coloridos ônibus que ligam a portaria do Parque Nacional do Iguaçu ao início das trilhas. Leva-se pouco mais de uma hora para percorrer as passarelas, ou seja, sobra tempo para você curtir também as outras atrações do lugar, como o Macuco Safari e a Trilha do Poço Preto. Termine o dia em algum dos restaurantes de cozinha argentina da simpática vizinha Puerto Iguazú.

O GUIA RECOMENDA

Cinco dias -  A visita às cataratas só faz sentido se o Parque Nacional do Iguazú, do lado argentino, também for visitado. Lá, literalmente, você anda em cima das quedas, e o número de passarelas e passeios é bem maior. Uma vez na Argentina, vale conhecer as lojinhas de Puerto Iguazú, assim como tentar a sorte no cassino. No retorno, a parada no recém-ampliado Duty Free pode garantir bons preços. Por falar em compras, reserve um dia para a paraguaia Ciudad del Este. Em solo brasileiro, na Usina Hidrelétrica de Itaipu, visite a usina e faça um Passeio de Catamarã pelo Lafo de Itaipu. Na Rodovia das Cataratas, o Parque das Aves exibe 150 espécies e o novíssimo Dreamland Museu de Cera apresenta esculturas de 30 personalidades.

ONDE FICAR

O perfil de hospedagem em Foz do Iguaçu é bem definido. Ao longo da Rodovia das Cataratas e na saída para Cascavel estão os hotelões com ampla área de lazer, ideais para famílias. No Centro, as opções são mais voltadas ao público executivo. Para quem busca hospedagens econômicas, Foz tem um bom número de hostels – seja no Centro ou próximos à entrada do Parque Nacional.

ONDE COMER

Para uma cidade tão turística, a oferta gastronômica deixa a desejar. Ainda assim, há algumas boas opções na área central. Do lado de lá da Ponte Tancredo Neves, em Puerto Iguazú, na Argentina, ficam os melhores endereços para saborear carnes. A influência do outro país vizinho está presente na sopa paraguaia (que na verdade é uma torta) e na chipa (espécie de pão de queijo), ambas encontradas em padarias e lanchonetes de Foz.

É TUDO VERDADE

O dia 9 de junho de 2014 fez história em Foz. Nessa data, o volume de água nas cataratas chegou a 46 milhões de litros por segundo, número jamais alcançado desde que o índice passou a ser medido – a vazão normal é de 1,5 milhão de litros por segundo.

LUGARZINHO

Música, cinema e boa comida: assim são as refeições no La Máfia. Cada um dos cinco salões repletos de referências da sétima arte exibem um diferente DVD musical, enquanto os clientes provam a massa. Espere almoçar ao lado de Don Corleone, Tony Montana e outros mafiosos.

COMPRAS

Além de bons restaurantes e bares, a argentina Puerto Iguazú tem centrinho propício para compras. As lojas estão concentradas na Avenida Brasil. Na paraguaia Ciudad del Este, do lado de lá da Ponte da Amizade, fuja das calçadas para fazer compras mais seguras. Roupas, acessórios, perfumes e eletrônicos são encontrados ao lado da aduana paraguaia, no Shopping Del Leste. Na avenida principal, a San Blás, há duas galerias luxuosas, a Monalisa e a Alfonso I. Entre as galerias, as mais confiáveis são a Mina Índia e a Nave.

No Duty Free Shop Puerto Iguazú, entre as aduanas brasileira e argentina, os produtos são legítimos e os preços, baixos. Roupas, artigos esportivos e eletrônicos são vendidos sem impostos. Na hora de comprar é preciso apresentar RG, CNH ou passaporte originais.

NOITE

No Centro, o quadrilátero formado pela Avenida Jorge Schimmelpfeng, Rua Marechal Floriano, Rua Belarmino de Mendonça e Avenida Brasil reúne o movimento. Na happy hour, vá ao Capitão Bar (Av. Jorge Schimmelpfeng, 288; telefone: (45) 3572-1512) ou ao Rafain Chopp (Av. Jorge Schimmelpfeng, 450; telefone (45) 3523-5373). A combinação entre cozinha asiática e balada está presente no Taj e no Laos Bar (Av. Brasil 1441;telefone: (45) 3028-2930). Para ouvir sertanejo, a dica é a Wood’s (Av. Jorge Schimmelpfeng, 450; telefone: (45) 3523-5373). Um pouco afastadodali, o Zeppelin Old Bar (R. Maj. Raul Mattos, 222, Vila Yolanda; telefone: (45) 3523-1804) é o endereço do rock.

COMO CHEGAR

O caminho natural para chegar a Foz do Iguaçu é pela BR-277, com vários trechos de pista simples e muitas praças de pedágio. De ônibus, partindo de São Paulo , são 16 horas de viagem feitas pelas viações Pluma (0800-646-0300; todos os dias às 14h30, 16h e 18h30, R$ 125; às 18h, R$ 242) e Kaiowa (0800-646-2423; todos os dias às 16h, R$ 120; às 19h30 e 22h, R$ 176). Da capital paranaense, quem faz o trajeto é a Viação Catarinense (4002-4700; R$ 142; todos os dias às 8h, 10h, 12h15, 18h, 21h, 21h30, 22h15 e 22h45, 11 horas de viagem). A rodoviária está a 4 km do Centro, e o trajeto do táxi fica em torno de R$ 15. O aeroporto da cidade recebe voos das principais companhias aéreas – os táxis cobram cerca de R$ 50 para levar ao Centro.

COMO CIRCULAR

Andar de carro por Foz é fácil – as principais avenidas são largas e a sinalização turística é frequente. Do Terminal de Transporte Urbano partem ônibus (R$ 2,85) que levam às principais atrações – táxis ou traslados oferecidos por agências de turismo são alternativas mais confortáveis. Para ir ao Paraguai, evite cruzar a fronteira com veículo próprio, pois há risco de assaltos. A partir do Centro, o trajeto de táxi até a Ponte da Amizade custa R$ 20 (mais R$30 se o carro deixá-lo do outro lado da fronteira – trajeto que pode ser feito a pé). Para a Argentina, não há problema – apenas não esqueça de pagar a Carta Verde, um seguro internacional, e lembre-se de trafegar com o farol baixo ligado.

QUANDO IR

Visitar as Cataratas é incrível em qualquer época do ano. Mas vale consultar o calendário lunar e agendar sua viagem para uma data com lua cheia – quando os parques brasileiro e argentino promovem luaus nas passarelas, com vista para as quedas.

CRUZANDO A FRONTEIRA

Argentina – Você pode chegar a Puerto Iguazú de três maneiras: de táxi (R$ 50 a partir do Centro de Foz), com os ônibus das agências de turismo (R$ 40 a ida e volta com a Loumar Turismo, 3251-4000) ou de carro (é obrigatório o porte da Carta Verde, documento que permite livre trânsito de veículos entre Brasil e Argentina – você pode comprá-la via agência de turismo ou pessoalmente nas seguradoras da cidade). Independentemente do meio de transporte, é necessário portar RG, CNH ou passaporte originais. Se a ideia for curtir a noite, fique atento: não há teste de bafômetro, mas os policiais são mais rigorosos que os brasileiros quanto ao consumo de álcool e podem reter o veículo. Compras até US$ 300 (por pessoa) realizadas no Duty Free ou em Puerto Iguazú são isentas de impostos.

Paraguai -Vá a Ciudad del Este de táxi (R$ 20 do Centro de Foz até a Ponte da Amizade – a travessia da ponte a pé, de 500 m, é tranquila; os táxis cobram mais R$ 35 para levar ao país vizinho). Outra alternativa são os ônibus das agências (R$ 49 ida e volta, Loumar Turismo, 3521-4000), que atravessam a ponte. Evite cruzar a fronteira com veículo próprio – há risco de assaltos. O pior dia para visitar o Paraguai é sábado, com movimento intenso e trânsito no regresso ao Brasil. Nas lojas, atente para o preço do produto e o valor pago: compras efetuadas no cartão de crédito têm acréscimo de até 17%. Ao levar dinheiro vivo, cuidado com furtos. Para entrar no Paraguai não é preciso portar documentos originais (mas leve identificação). Compras de até U$ 300 por pessoa estão isentas de impostos. 

Comente