Petrópolis

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
  • www.petropolis.rj.gov.br
  • 297.192 hab
  • 24
  • Rio de Janeiro

  • Teresópolis, 55 km, Três Rios, 64 km, Rio de Janeiro, 72 km, Niterói, 81 km, Nova Friburgo, 122 km, Belo Horizonte, 373 km, São Paulo, 476 km

Ao lado de Campos do Jordão (SP) e Gramado (RS), a cidade forma o trio dos principais destinos de serra do país. Enquanto a cidade paulista é o epicentro da badalação cara e a gaúcha, um ímã cada vez maior para famílias, Petrópolis apoia-se na realeza. Seu clima remete aos tempos do Império, com museus, igrejas e construções históricas. É também o destino com maior número de hospedagens de charme no GUIA BRASIL 2014 (oito) e sua gastronomia reúne seis restaurantes estrelados. A natureza também é diferenciada: de uma das trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos avistam-se a Baía de Guanabara e o Pico Dedo de Deus. E tudo isso com a cidade do Rio de Janeiro praticamente a seus pés.

Por Luiz Giannoni

COMO CHEGAR

Do Rio de Janeiro, siga pela BR-040, duplicada até o início da serra. A partir dali, as pistas se bifurcam e são mais 20 km de curvas até Petrópolis. De ônibus, há saídas do Terminal Novo Rio a cada 30 minutos entre 5h e 0h (Única, 0800-886-1000, R$ 20, 1h30 de viagem); o desembarque é feito na rodoviária de Bingen – a corrida de táxi até o Centro custa R$ 30.

COMO CIRCULAR

Petrópolis tem vários distritos ao longo da BR-040 e da Estrada União e Indústria (alguns deles, como Secretário e Vale das Videiras, ficam a mais de 40 km do Centro). Se a ideia é hospedar-se nos arredores, é melhor vir de carro. Itaipava, a 17 km do Centro, tem bons restaurantes e lojas, enquanto Araras e Vale do Cuiabá, 8 km e 11 km dali, respectivamente, são refúgios de casais em busca de sossego. Os ônibus urbanos (R$ 2,50) atendem essas regiões, mas prepare-se para perder tempo com deslocamentos. Na área central ficam as principais atrações da cidade e dá para fazer tudo a pé.

SUGESTÕES DE ROTEIROS

1 dia – Para quem vem no esquema bate-volta, o roteiro básico é chegar cedinho e ir direto ao Museu Imperial e esticar para a Catedral de São Pedro de Alcântara, a poucos passos dali. Para não perder muito tempo e logo partir para a mais nova atração da cidade, a Cervejaria Bohemia, o almoço pode ser na Pavelka ou na Casa do Alemão, que servem bons sanduíches de linguiça e croquetes de carne.

2 dias – Em um fim de semana dá para explorar todas as atrações do Centro Histórico, como o Palácio Cristal, a Casa de Santos Dumont e a Casa da Ipiranga, e ainda aproveitar d noite de Itaipava. Lá estão os estrelados Il Perugino e Parrô do Valentim, além das principais casas noturnas da região, perfeitas para quem gosta de dançar. Domingo é dia de acordar tarde e almoçar no Cocotte Bistro, novo estrelado da cidade.

4 dias – Com mais tempo, é hora de explorar melhor as opções de compras de Itaipava. Ao longo da Estrada União e Indústria estão várias galerias e lojas bacanas, como a Olhar o Brasil e a Galeria Salvador. Para respirar ar puro e curtir a paisagem do Vale do Cuiabá, a pedida é curtir um passeio a cavalo no Haras Analu. Vale também esticar a viagem até Teresópolis, a 35 quilômetros dali, e fartar-se no banquete russo do Dona Irene, detentor de duas estrelas no GUIA BRASIL 2014.

QUANDO IR

Os fins de semana são sempre concorridos, principalmente no inverno, quando as chuvas são raras e o frio é intenso. Junho e julho são o período de dois eventos: a Festa do Colono e o Festival de Inverno.

Comente