Gramado

Cidade

Mapa
Ver no mapa:
|
|
 
PREVISÃO DO TEMPO

Fonte: Climatempo
  • www.gramadosite.com
  • 34.110 hab
  • 54
  • Rio Grande do Sul

  • São Francisco de Paula: 49 km; Caxias do Sul: 75 km; Cambará do Sul: 117 km; Porto Alegre: 135 km; Torres: 244 km; Lages: 293 km; São Paulo: 1060 km; Rio de Janeiro: 1511 km

Faltava neve a Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha. A cidade fica cheia o ano inteiro, seja no inverno para curtir o friozinho (com sorte, você verá até neve natural ali em julho), seja no verão para se divertir nos três meses de festa do Natal Luz. O charme se mantém na hotelaria em qualquer época, com diversas opções: grandes estruturas para famílias e conforto, privacidade e mimo para os casais em busca de romance. Pertinho, a menos de 10 km, Canela tem parques ecológicos para quem gosta de aventura.

UM DIA PERFEITO

Muito do charme de Gramado está em passear sem pressa pelo Centro, sobretudo nos 100 m da Rua Coberta, principal point de compras e comidinhas da cidade – como a Casa da Velha Bruxa, que serve um ótimo chocolate quente. Para o fim de tarde, o ideal é passear de pedalinho ou caminhar às margens do Lago Negro. No jantar, volte ao Centro e prove o delicioso galeto (servido em rodízio) do Casa di Paolo.

O GUIA RECOMENDA

Três dias - Se você procura aventura, reserve um dia inteiro para aproveitar a montanha de neve do Snowland, com sua vila, restaurantes, área para crianças e, claro, seus esportes de inverno. À noite, para seguir a tradição dos Alpes, escolha uma fondue para o jantar – as melhores são a do Belle du Valais e a do Le Petit Clos. No dia seguinte, tente percorrer a Avenida das Hortênsias com o Passaporte Museus de Gramado na mão e visite o Hollywood Dream Cars, o Super Carros, o Dreamland Museu de Cera e o Harley Motor Show. As crianças adoram os animais do Gramadozoo, com espécies em extinção e espécimes exclusivos da fauna brasileira – com o mesmo ingresso, você também entra no Parque do Gaúcho, que reproduz uma vila do século 18. Vale, por fim, esticar a viagem até Canela, seja nos esportes de aventura do Parque da Ferradura, seja entre as peças e painéis do Museu da Moda.

ONDE FICAR

A rede hoteleira de Gramado tem muitos hotéis caros, com estrutura robusta de lazer, ou mais românticos, centrados em serviços personalizados. Porém, com o mercado aquecido na região, novas hospedagens familiares, simples e com boa relação custo-benefício estão surgindo, como a Lanai. Embora seja destino de serra, há alta temporada também no verão por causa do Natal Luz, que dá 100% de ocupação aos hotéis e faz os preços dobrarem (reserve com 12 meses de antecedência). Dica para quem viaja de carro: em Canela, os valores são bem inferiores.

TESTE DO GUIA

Novidade da temporada de inverno 2014, o Hostel Britânico, a 800m da Rua Coberta, segue a tendência dos albergues contemporâneos – mais confortáveis e com estilo próprio. Nos seis quartos coletivos, há camas no formato pod bed (cabine), que podem até lembrar os tradicionais beliches, mas dispõem de mais privacidade e conforto – todos têm iluminação individual e cortinas e são mais modernos, largos e altos. Os lockers são grandes e possuem chaves próprias. Nos cinco quartos privativos, a cama queen-size é coberta por enxoval de algodão 180 fios e há TV com canais a cabo. O saguão tem bandeiras britânicas e, até o fim de 2014, contará com um bar, onde serão servidas pequenas refeições.

ONDE COMER

A cena gastronômica local ficou mais pobre depois que o ModeVie Boutique Hotel desativou o Le Sens, seu restaurante de cozinha contemporânea. Com matriz em Bento Gonçalves, o Casa di Paolo serve um típico rodízio de galeto. Outro clássico local são as fondues.

COMIDA TÍPICA

Fondue: O prato mais tradicional de Gramado teria surgido na Europa durante a Idade Média, criado por pastores suíços que passavam o verão isolados na parte francesa dos Alpes. Eles teriam sido os primeiros a juntar sobras de pão duro e queijos derretidos. Além da fondue suíça, com queijos emmental e gruyère, vinho branco seco e kirsch (aguardente de cereja), as casas da cidade servem variações como bourguignonne (com pedaços de carne fritos) e la pierrade (mignon e peito de frango cozidos em pedra vulcânica), na companhia de diversos molhos. A sequência de fondues por preço fixo é uma oferta comum, mesmo nas melhores casas (embora algumas não explicitem isso no cardápio). 

Onde comer: Gasthof Edelweiss e Bouquet Garni e nos restaurantes de cozinha suíça.

SACOLINHA

A cidade é cheia de tentações para você encher a mala. É um clássico levar chocolates, mas há outras delícias, como os pães da Casa do Colono. Ótimo também é o Le Jardin Parque de Lavanda, com boa oferta de produtos perfumados.

COMO CHEGAR

De carro, a partir de Porto Alegre, há três caminhos. O mais bonito (e sinuoso) é pela BR-116, mas o mais comum é sair da BR-116 depois de Novo Hamburgo, pegar a RS-239 e, em Taquara, seguir pela RS-115. O mais curto é ir pela cidade de Cachoeirinha, na RS-020, e continuar pela RS-115, depois de Taquara. Do Aeroporto Salgado Filho e da rodoviária de Porto Alegre, os mais próximos de Gramado, saem ônibus diários (Viação Citral, 0800-979-1441), com preços entre R$ 21,90 e R$ 28,25. O percurso leva cerca de duas horas.

COMO CIRCULAR

Que tal uma cidade sem semáforos? É o caso aqui. O trânsito é ordenado pelas rótulas, como são conhecidas as rotatórias que se encontram, na maioria, ao longo das avenidas principais: a Borges de Medeiros e a das Hortênsias. Boa parte dos hotéis e restaurantes de Gramado concentra-se, aliás, entre as duas vias – o melhor jeito de ir de um lugar a outro é caminhando. Para chegar a lugares mais distantes, há táxis e linhas de ônibus. O circular que vai de Gramado a Canela parte da rodoviária e passa por vários pontos turísticos, como a Aldeia do Papai Noel, chocolaterias e museus. A pé, use livremente as faixas de pedestres – os carros realmente param para você atravessar.

QUANDO IR

Para conseguir um hotel na alta temporada de inverno (julho) ou no Natal Luz (novembro a janeiro), é preciso reservar com um ano de antecedência – as diárias sobem muito. Para economizar, vá entre fevereiro e maio ou entre setembro e outubro.

VIDA NOTURNA

Embora seja uma cidade turística, as noites de Gramado ficam agitadas apenas às sextas e sábados. Os dois principais points jovens são o Bill Bar (Av. das Hortênsias, 3617; telefone: (54) 3286-4802), com pista e bandas ao vivo, e o Harley Motor Show, que se transforma em um pub.

Por Luiz Felipe Silva

 

Comente