Edição 192/ Outubro de 2011 01/10/2011

99 razões para amar Buenos Aires - Por baixo da catraca

Buenos Aires com crianças: parques, bichos e até um museu dedicado às crianças fazem da cidade um destinão para os pequenos

por Fernanda Paraguassu

Vivi dois anos em Buenos Aires com Gabriel e Manuela, meus dois filhos, de 7 e 4 anos, respectivamente. Outro dia, Gabriel me perguntou do que eu mais sentia falta de lá. Pensei no cheiro do café com medialuna pela manhã, nas peças de teatro e de como as crianças ficavam felizes no balanço da Plaza Alemania. Mas a lista poderia incluir as tardes de sorvete e as andanças nas lojinhas em Palermo Soho, onde encontrei até uma fábrica de bonecos de pano.

Viver com os filhos em Buenos Aires permite, como é de se supor, um mergulho em uma cultura diferente. Isso valeria para qualquer outra cidade estrangeira, mas lá há muitas vantagens. Buenos Aires fica pertinho, esbanja charme e tem programas simples, divertidos e saborosos, perfeitos para a família. Algumas delícias: doce de leite, parques e praças, teatros, museus e livrarias com atenção especial para as crianças. Por toda a cidade não faltam atrações para os pequenos gastarem energia. Uma boa ideia é começar o giro por Palermo. Na Avenida Las Heras fica o (1)Zoológico (4011-9900, www.zoobuenosaires.com.ar; AR$ 34, grátis para menores de 12 anos). Elefante, girafa, urso e cobras enormes prendem a atenção mesmo dos mais distraídos. Há comida para as crianças alimentarem os animais, passeios de barco e aquário. Na Floresta Subtropical, araras dão rasantes sobre nossas cabeças. O Zoo abriga ainda um parquinho e o mais lindo carrossel da cidade. Ali perto, o (2) Rosedal (Avenida del Libertador com Sarmiento, 4800-1135) tem roseiras que ganham cores e perfumes mais intensos justamente agora, na primavera. O desafio é tentar encontrar, entre as mais de 10 mil flores, uma rosa igual à do Pequeno Príncipe e outra parecida com aquela da Bela e a Fera. Vale olhar de pertinho, cheirá-las e emprestar a câmera para os pequenos. Só não pode arrancar nenhuma flor, como fez o pai da Bela. Lembra da enrascada em que ele se meteu?

Do Rosedal, atravesse a ponte construída em 1914 pelo arquiteto Benito Carrasco para dar uma volta de pedalinho no (3) Parque 3 de Febrero (Avenida Adolfo Berro, 4800-1135). E, se quiser tranquilidade, vá ao (4) Jardín Japonés (Casares, 2966, 4804-4922, www.jardinjapones.org.ar; AR$ 8, grátis para menores de 13 anos; Cc: A, M, V), um bucólico jardim com pontes vermelhas sobre um lago cheio de carpas, que os chicos podem alimentar. Colada ao Jardín Japonés fica a Plaza Alemania, onde nós passamos momentos especiais. Ali há um parquinho com brinquedos de madeira e um gramado perfeito para correr e fazer piqueniques. Cães não entram, vantagem e tanto em uma cidade com uma superpopulação desses animais. Um bom pit stop é o (5) Club de Amigos (Avenida Figueroa Alcorta, 3885, 4801-1213, www.clubdeamigos.org.ar; Cc: A, D, M, V), do lado oposto ao Jardín Japonés. É um clube fechado, mas que admite visitantes durante a semana por AR$ 35. Lá há parquinho e espaço para os guris baterem bola com pibes argentinos. O restaurante serve um variado cardápio infantil, tudo bastante saudável.

É também por ali que fica a (6) CasaBarbie (Scalabrini Ortiz, www.barbie-stores.com), que tem butique, salão de beleza, casa de chá e uma brinquedoteca para crianças a partir de 3 anos. Nem todos os produtos da marca Barbie estão à venda, mas sua chiquita pode fazer um lanche ou pintar uma flor no rosto. Em dias de festa de aniversário, quem não for convidado não entra. Melhor telefonar antes.

Na hora de comer, Buenos Aires também tem restaurantes com menus adaptados. O (7) La Payuca (Arenales, 3443, 4825-5959; Cc: A, D, M, V), perto do Shopping Alto Palermo, serve nuggets de fango e purê de batata. Mas o melhor é a brinquedoteca do 2º andar, que vai tornar árdua a tarefa de fazer as crianças voltarem à mesa. Em Puerto Madero, almoce no (8) Cabaña Las Lilas (Avenida Alicia Moreau de Justo, 516, 4313-1336, www.laslilas.com; Cc: A, D, M, V), onde a carne é boa e o menu infantil tem milanesa sequinha. Na saída, visite a (9) Fragata Sarmiento (Avenida Alicia Moreau de Justo, 980, 4334-9386, www.ara.mil.ar; AR$ 2, grátis para menores de 5 anos), que fica ancorada no Dique 3. O navio-escola do início do século passado é hoje um museu da marinha onde as crianças se divertem andando pela embarcação e vendo todos aqueles artefatos e mobiliário original.

Mas a diversão mesmo está reservada para o (10) Museo de los Niños (Avenida Corrientes, 3247, nível 2, 4861-2325, www.museoabasto.org.ar; AR$ 40 a AR$ 45, crianças, e AR$ 20, adultos; Cc: A, D, M, V), dentro do Shopping Abasto. Ali as crianças brincam de ser gente grande, como caixa de supermercado, atendente de lanchonete, jogador de futebol, médico, jornalista!

Em Palermo Soho dá para curtir lojas bacanas, inclusive para crianças, como a (11) Sopa de Principe (Thames, 1749, 4831-8505, www.sopadeprincipe.com.ar; Cc: A, M, V), que tem bonecos de pano incríveis. Para o fim de tarde, você pode escolher uma peça de teatro sobre princesas e piratas. A Broadway portenha está na Avenida Corrientes, e o (12) Paseo la Plaza (nº 1660, 6320-5300, www.paseolaplaza.com.ar) tem montagens de qualidade. Fomos lá logo que chegamos ao país e, mesmo sem dominar o idioma, adoramos. Entrar em livrarias e folhear livros é outra diversão. Mostre a seus filhos o que as crianças argentinas leem e procure histórias que elas conheçam. Na cidade das livrarias, cada um escolhe a sua de estimação. Eu me apaixonei pela aconchegante (13) Libros del Pasaje, em Palermo Soho (Thames, 1762, 4833-6637, www.librosdelpasaje.com.ar; Cc: A, M, V).

Viajar com crianças é muito gostoso e gratificante, mas cansativo. Para ajudá-las a entrar no clima, vale falar do lugar que vão visitar, conversar de futebol ou algum artista famoso argentino. E treinar juntos algumas palavrinhas em espanhol. Depois, que lo disfutem!