COMPRAS 14/12/2012

Enxoval de bebê nos Estados Unidos: vale a pena?

Preço, qualidade e variedade de produtos convencem brasileiros a encher as malas de roupinhas, mamadeiras, brinquedos e outros artigos infantis

por Kátia Arima

Thinkstock

Gestante vai às compras - enxoval de bebê

<p> Thinkstock</p>

Gestantes brasileiras vão às compras em Nova York, Miami, Orlando...

Pegar o avião rumo a Miami, Nova York ou outra cidade dos Estados Unidos para fazer o enxoval do bebê pode parecer ideia de gente extravagante. Mas, apesar do dólar alto, muitas gestantes e mamães brasileiras encaram os longos voos para enfrentar uma maratona em shoppings e outlets com o objetivo de comprar produtos a preço mais baixo do que no Brasil.

“Vale a pena, pois lá você encontra artigos úteis, de qualidade e muito mais baratos”, diz a analista financeira Ivana Moura, 36 anos, que foi a Nova York grávida de 6 meses, exclusivamente para as compras do seu esperado filho Felipe. Ela calcula ter investido US$ 1000 nas compras do enxoval, principalmente em roupas, que servirão ao bebê até seus 9 meses de vida. Ivana aproveitou as pechinchas, como o kit de três peças de roupa da Carter´s, que custou US$ 8. “A qualidade do tecido é muito boa. No Brasil, um produto equivalente custaria de R$ 30 a R$ 40”, compara. A analista financeira fez a maioria das compras no outlet Jersey Gardens, na cidade de New Jersey, vizinha a Nova York.

Seja no outlet, no shopping ou lojas de rua, uma boa dica para economizar nas compras é buscar cupons de desconto na internet, hotéis ou nas lojas físicas. “Os cupons geralmente têm validade curta, então deixe para imprimir na última hora. Em alguns casos, nem é preciso imprimir, basta mostrar o código na tela do celular”, recomenda a fisioterapeuta Adriana Beraldo Simone, que viajou para Orlando em abril, no sexto mês de gravidez, para montar o enxoval. “Há lojas que dão bons descontos para a segunda compra.”

Adriana gastou US$ 3000 em roupas e brinquedos para os dois filhos, Bernardo e Lorenzo. “Parcelo no cartão em 5 vezes e fico 2 anos sem gastar com isso. Vale a pena, pois pago a metade do preço encontrado no Brasil”, diz.

Para economizar tempo e energia, alguns brasileiros escolhem e compram os produtos pela internet antes de embarcar. “Pesquisei na Amazon o modelo de carrinho que queria e mandei entregar no hotel”, conta a bancária Larissa Irajá Balogh de Souza, 33 anos, que foi no ano passado para Miami grávida de 4 meses para comprar o enxoval do filho Benjamin. Pagou US$ 500 no carrinho com o bebê conforto, duas peças que custam juntas cerca de R$ 2000 no Brasil.

Mas, antes de se aventurar pelas lojas, não se esqueça de um detalhe importante: você terá um limite de peso e espaço na bagagem para embarcar no avião de volta ao Brasil – cada empresa tem suas regras. Portanto, informe-se com a companhia aérea e reserve um bom tempo para fazer as malas com calma. Larissa protegeu o carrinho com plástico bolha e o embalou em um saco grande, junto com roupinhas novas do filho. “A companhia aérea não tinha restrição de tamanho, apenas de peso, então não pagamos taxa de excesso de bagagem”, diz.

Para acomodar as compras nas malas, a advogada Ana Wang Belchior, 36 anos, usou os chamados “sacos a vácuo”. Assim, as roupinhas e mantas que ela havia comprado em Orlando para o seu bebê ficaram compactas e couberam na bagagem –ela encheu três malas grandes com o enxoval, que custou US$ 1000. “Comprei tudo, inclusive coisas que não precisava.”

Quando têm tempo disponível as mamães aproveitam a viagem não só para as compras, mas para se divertir e descansar antes da chegada do bebê. Ana Belchior curtiu os parques de Orlando com os familiares: conheceu o Hollywood Studios e o Animal Kingdom, da Disney, e os parques da Universal Orlando Resort. “Alugamos um carro para passear e nos divertimos muito”, diz.