Documento para pets 26/11/2013

Ministério cria passaporte para cães e gatos

Documentação promete facilitar o trânsito nacional e internacional dos animais

por Ludmilla Balduino

Divulgação

passaporte-caes-gatos

Divulgação

Capa do passaporte que será emitido pelo Ministério

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) criou um modelo de passaporte para o trânsito de cães e gatos que deve começar a ser implementado no fim de fevereiro de 2014.

O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos deve ser solicitado por donos de animais que desejam levar seus pets em viagens. É preciso solicitar o documento nas Unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) localizadas em portos, aeroportos, postos de fronteira e aduanas especiais.

Para obter o passaporte, o dono do animal deve apresentar um atestado de saúde e a carteira de vacinação. Além disso, o cão ou o gato já deve ter um chip implantado em seu corpo por um veterinário. Esse chip é exigido pelos países da União Européia e ajuda a facilitar a identificação do pet.

Além do nome e do endereço do dono do animal, o passaporte terá a descrição do bicho, o nome, a espécie, a raça, o sexo, a pelagem e a data estimada de nascimento. Também vai constar o número de identificação eletrônica do animal (microchip) e os dados de vacinação e exame clínico fornecidos por médico veterinário.

Não são todos os países que aceitam o método de identificação. Nesse caso, o Ministério pode emitir o Certificado Veterinário Internacional. O dono do cão ou gato também pode optar pelo certificado convencional caso não queria aderir ao passaporte, porém o processo é mais demorado. Por esse método, utilizado atualmente, são exigidos no mínimo três documentos para autorizar o trânsito dos bichos de estimação.

O Mapa entrega o passaporte em 30 dias, desde que o passageiro tenha fornecido toda a documentação exigida. O documento vale por toda a vida do animal.