Notícias 03/10/2011

As 10 melhores cartas de vinhos do país

por redação viajeaqui

Daniel Sorrentino

Adega do Restaurante Durski

Daniel Sorrentino

Adega do Restaurante Durski

O diretor-executivo da Associação Brasileira de Sommeliers - São Paulo (ABS-SP), Arthur Azevedo, colaborador do GUIA QUATRO RODAS BRASIL 2012, comenta as campeãs da edição.

1º- Durski (Curitiba, PR)

Os pontos altos da carta de 2234 rótulos estão na amplitude da seleção, na extensa lista de grandes vinhos, no generoso número de champanhes e vinhos doces e na originalidade das bebidas escolhidas – até de países sem muita tradição no setor vinícola.

2º- Olivetto (Campinas, SP)

A carta do restaurante campineiro tem vinhos de excelente qualidade em todos os estilos. Entre os pontos fortes, uma ótima seleção de espumantes, generosa e criativa oferta de brancos e muitas verticais de rótulos franceses especiais. Chile e Argentina são representados pelos seus melhores produtores. Outro aspecto elogiável é a lista de vinhos fortificados, em especial os Vinhos do Porto, também servidos em taça.

3º- Arola-Vintetres (São Paulo, SP)

Estreante na lista, a carta desta casa de culinária espanhola faz a alegria dos apreciadores de bons vinhos. Ousada e criativa, exibe ótimas escolhas de vinhos rosados, e, como não poderia deixar de ser, uma impressionante seleção de rótulos espanhóis, de quase todas as regiões do país. Tem ótima oferta de vinhos de Jerez, com amplo leque de estilos da bebida.

4º- Varanda (São Paulo, SP)

É caracterizada pelo equilíbrio e pela notável qualidade dos vinhos, em todos os estilos e faixas de preço. Muito bem organizada, possui informações precisas de cada um dos rótulos e excelente disponibilidade da bebida em tamanhos especiais, magnum e meias-garrafas - todas com padrão muito acima da média. A seção de vinhos doces é de tirar o fôlego.

5º- Grupo Rubaiyat (São Paulo, SP)

A carta apresentada nos restaurantes do grupo - Baby Beef Rubaiyat, A Figueira Rubaiyat e Porto Rubaiyat - tem como marca principal a ampla oferta de vinhos de extraordinária qualidade, tanto do Novo quanto do Velho Mundo. Todos os estilos estão muito bem representados nesta lista cuidadosamente organizada e fácil de consultar. Fiel à origem dos proprietários da grife gastronômica, a carta dá tratamento elogiável às etiquetas espanholas.

6º- D.O.M. (São Paulo, SP)

Concisa e quase cirúrgica, a lista mostra que não é preciso ter muitos rótulos para elaborar uma invejável lista de vinhos - bem harmonizados com a proposta gastronômica do restaurante. Uma novidade é a seção de biodinâmicos brancos e tintos, com ótimas opções de alta qualidade. A relação de vinhos doces é outro ponto forte.

7º- Laguiole (Rio de Janeiro, RJ)

Extensa e bem elaborada, a carta tem boas atrações, especialmente no setor dos vinhos franceses. Bordeaux é representada por várias verticais dos Premier Grand Cru Classes, mas ainda há outros vinhos do país com nível equivalente. Boa oferta de champanhes e de californianos, raros nos restaurantes brasileiros.

8º- Terzetto (Rio de Janeiro, RJ)

Focada na qualidade, a extensa relação tem boas opções em todos os estilos, incluindo uma ampla seleção de vinhos em tamanhos diferenciados, tais como magnum e meias-garrafas. A seção de rótulos brancos é muito interessante, com bons produtos do Novo e do Velho Mundo.

9º- Fasano (São Paulo, SP)

A seção italiana é o destaque da pequena e bem elaborada carta do melhor restaurante do Brasil, que lista vinhos de alta gama, selecionados entre os melhores produtores europeus. Recheada de nomes famosos, a lista também dá especial atenção aos rótulos franceses, em especial de Bordeaux e da Borgonha.

10º- Locanda della Mimosa (Petrópolis, RJ)

Elegante, concisa e muito bem organizada, a carta prima pela alta qualidade dos rótulos, em especial os italianos. Ainda apresenta uma ótima seleção de vinhos doces e do Porto. O restaurante também toma o cuidado de oferecer opções de praticamente todo o mundo, representativos e bem diversificados.