Edição 186/ Abril de 2011 17/09/2011

Only 4fun

Best of de Miami e Orlando em compras, passeios e hotéis. As duas cidades mais bacanas da Flórida vivem seu grande momento. Ao menos para os brasileiros...

por Júlia Gouveia e Alexandra Leite

Divulgação

Crianças no Magic Kingdon, em Orlando

<p> Divulgação</p>

Crianças no Magic Kingdon, em Orlando

Do 1,2 milhão de brasileiros que foram aos Estados Unidos no ano passado, pelo menos 600 mil preferiram a Flórida. Orlando e Miami são os destinos campeões. É fácil entender o porquê. Miami tem verão até mesmo no inverno, vida boa em suas praias e um bairro que se defi ne como design. E é, principalmente, um lugar excelente para compras - tem as grifes mais desejadas e os outlets que fazem a alegria de tanta gente, com ou sem IOF. E Orlando, a Terra da Diversão, não para. Se em 2010 a Universal abriu caminho com o Wizarding World of Harry Potter, neste ano a movimentação é mais distante, no Busch Gardens, em Tampa, com a montanha-russa da Cheetah. Mas os pais já sabem que entretenimento também está nos shoppings, outlets e agora nos novos hotéis de luxo da cidade. A seguir, roteiros com o melhor das duas cidades.

COMPRAS

Miami

A nova cara da cidade

Houve um tempo em que Miami era sinônimo de breguice, com seus néons coloridos, carros conversíveis e mulheres que não viam problemas em ser chamadas de peruas. Isso mudou de uns anos para cá, quando certo glamour se instalou na cidade. As compras - e as vitrines - se sofisticaram, com grifes como Marc Jacobs e Tiffany & Co. O mercado de lojinhas e butiques de rua está crescendo, sem prejuízo dos outlets e magazines mais populares, como o gigantesco Sawgrass Mills e a Macy’s.

Os Outlets

Miami ainda tem ótimos outlets, a despeito de sua cara hoje de cidade-butique. Caçadores de ofertas devem começar sua peregrinação pelo megaoutlet Sawgrass Mills (12801 West Sunrise Boulevard, 954/846-2350), em Sunrise, a uma hora de carro. O lugar é gigantesco, e tem de ser assim para acomodar as 350 lojas de ponta de estoque de marcas queridinhas, como Nike, Gap e Adidas. Para os mais mauricinhos, tem desde a clássica Ralph Lauren (camisas polo desde US$ 39,90) até lojas de luxo, como Burberry e Ferragamo. Outro shopping-outlet disputado é o Dolphin Mall (11401 NW 12th Street, 365-7446), bem próximo do aeroporto de Miami. Ele concentra todas aquelas lojas que os brasileiros amam: Levi’s, Sony, Tommy Hilfiger, entre tantas outras. Apesar de não ser um outlet, o Dadeland Mall (7535 N Kendall Drive, 665-6226) sempre tem ótimas ofertas. A boa por ali é vasculhar nas araras da maior Macy’s da Flórida e nas fast-fashions Zara, Abercrombie e Hollister. Também no Dadeland e em vários endereços por Miami, a Ross Dress for Less é muito bagunçada, mas tem tesouros escondidos em suas araras. Tudo o que encalha nos outlets vai parar lá. Por isso, não é difícil achar pechinchas, como uma bolsa da Guess por US$ 30, por exemplo. Para marcas mais premium, a pedida é a Loehmann’s (3201 North Miami Avenue, 571-9503; Cc: A, M, V), com calças da Joe’s, Citizens of Humanity e 7 for All Mankind por US$ 99, além de bolsas, sapatos e cosméticos. Na parte dos fundos você encontra peças assinadas por estilistas como Tory Burch, Helmut Lang e Calvin Klein e vestidos de festa com até 70% de desconto. Por um terninho Calvin Klein, paga-se até US$ 150.

Moda com exclusividade

A região do Design District, antigo reduto de depósitos de móveis, tem atraído butiques de luxo. Tem desde as peças de cores vivas da Marni (3930 NE 2nd Avenue, 764-3357, www.marni.com; Cc: A, D, M, V), os biquínis de luxo da Tomas Maier (170 NE 40th Street, 576-8383, www.tomasmaier.com; Cc: A, D, M, V) até os sapatos sexy da loja Christian Louboutin (155 NE 40th Street, 576-6820, www.christianlouboutin.com; Cc: A, D, M, V). A loja da marca francesa chama a atenção: é toda coberta por folhagens e, como num peep show, quem passa na rua pode observar pelas janelas de vidro as mulheres experimentando os famosos sapatos de sola vermelha e saltos altíssimos. Se tudo parecer caro demais, vá à Stella (1800 Biscayne Blvd Suite 104, 305/808-9588, www.shopstellamiami.com; Cc: A, D, M, V). Supereclética, a grife vende peças de estilistas locais. E o melhor: nada custa mais de US$ 100. Outra loja que vale a visita é a Y-3 (150 NE 40th Street, 573-1603, www.y-3store.com; Cc: A, D, M, V), a marca modernosa do japonês Yohji Yamamoto em parceria com a Adidas. No pedaço mais bacana de South Beach, no calçadão da Lincoln Road fica a excelente livraria Taschen (1111 Lincoln Road, 538-6185, www.taschen.com; Cc: A, M, V), cujos livros você já deve ter sentido vontade de comprar nas lojas dos museus brasileiros - ali você vai se esbaldar.

O outlet Sawgrass Mills de Miami

<p> Louise Chin</p>

O outlet Sawgrass Mills de Miami - Foto: Louise Chin

Aventura e Bal Harbour

Se por alguma razão você tiver de escolher um único shopping, o Aventura Mall (19501 Biscayne Boulevard, 935-1110) é um dos mais completos. Entre suas 240 lojas, ele concentra desde as fast-fashions Zara e Urban Outfitters até marcas mais tops, como Burberry e Michael Kors. Vale a pena explorar suas outras lojas menos conhecidas, como a graciosa Sur La Table (384-4793; Cc: A, M, V), que vende utensílios domésticos e alimentos para gourmets em um ambiente sem afetação. Na Lululemon (466-7294; Cc: A, M, V), o legal são as roupas de materiais especiais que secam rapidamente e evitam odores. Já a Anthropologie (933-3512; Cc: A, M, V) é conhecida pelas roupas com apelo moderninho e levemente retrô. Mas, se o seu negócio for luxo, o melhor é o Bal Harbour Shops (9700 Collins Avenue, 305/866-0311). A céu aberto e cercado por palmeiras, tem Tiffany & Co., Yves Saint Laurent, Jimmy Choo e Bulgari, além de lojas interessantes como a Agent Provocateur (865-3909; Cc: A, M, V), com lingeries tão luxuosas quanto sexy. Se a ideia é renovar o enxoval, passe na Pratesi (861-5677; Cc: A, M, V), especializada em peças do finíssimo algodão egípcio. A Custo Barcelona (864-0426; Cc: A, D, M, V) faz camisetas com estampas festivas, vestidos que caem bem em qualquer ocasião e jeans. No Village of Merrick Park (358 San Lorenzo Avenue, 529-0200), no bucólico bairro de Coral Gables, marcas menos caras, como Banana Republic e Ann Taylor, dividem espaço com Carolina Herrera e Gucci.

O enxoval do bebê

Muitas mamães já descobriram que montar o enxoval do bebê em Miami sai muito mais em conta do que no Brasil. "Fiz a comparação e, pelos mesmos produtos, paga-se em São Paulo, às vezes, até cinco ou seis vezes mais do que nos Estados Unidos", conta a economista Priscila Goldenberg. Moradora de Miami, Priscila se tornou uma espécie de personal shopper de enxoval. Em sua consultoria (www.pgoldenberg.com), ela acompanha os clientes nas compras ou monta todo o enxoval e manda para o Brasil. Em um ano já atendeu mais de 62 mães confusas com as inúmeras opções de produtos encontradas em Miami. Segundo ela, o segredo é fazer 90% das compras nas lojas da Carter’s (Dolphin Mall e outros endereços, www.carters.com; Cc: A, M, V), que tem roupinhas de ótima qualidade, e na Baby’r’Us (2745 NE 193rd Street, 705-9893, e outros endereços, www.babiesrus.com; Cc: A, M, V), onde há todos os acessórios necessários para os bebês - de chupetas a roupa de cama e bebê-conforto. O casal de médicos Samantha Neves e Rodrigo Thompson embarcou para a cidade em abril. "Não acreditei quando comprei bodies de algodão na Carter’s por US$ 1,50. No Brasil, custaria, em média, cerca de R$ 30", disse ela à VT. Antes de viajar, eles compraram o carrinho do bebê pelo site da Amazon e mandaram entregar no hotel. Pelo carrinho da hypada marca Quinny, pagaram US$ 730 - por aqui, ele sai por R$ 4 000. A publicitária Laura Florence, do blog mamae vai as www.compras.blogspot.com, recebe dezenas de emails com dúvidas sobre compras em Miami. "O principal é pesquisar bastante os produtos e marcas para já sair do Brasil com uma listinha fechada", sugere. Para dar aquele plus no enxoval, ela não dispensa uma visita à Genius Jones (49 NE 39th Street, 571-2000, outro endereço em www.geniusjones.com; Cc: A, M, V), que tem brinquedos e objetos para crianças com um estilo mais descolado. Para a advogada Marina Xandó, que montou todo o enxoval da filha em Miami, a melhor descoberta foi a loja Buy Buy Baby (8241 West Flagler Street, 266-5324, outros endereços em www.buybuybaby.com; Cc: A, M, V). "Em uma tarde, resolvi quase todas as compras do enxoval", contou. Ela também gosta das roupinhas personalizadas da Ralph Lauren Baby (Dolphin Mall, 591-7170, outros endereços em www.ralphlauren.com/baby; Cc: A, M, V). "Você pode colocar as iniciais do seu baby nas polos e casaquinhos, sem custo extra algum", diz. A jornalista Juliana Nogueira, que mora em Miami há quatros anos, acha que as roupinhas da Baby Gap (Dadeland Mall, 668-8886, outros endereços em www.gap.com; Cc: A, M, V) são as mais "estilosas e resistentes".

Loja no sofisticado Bal Harbour Shops, em Bal Harbour, a norte de Maiami

<p> Bia Parreiras</p>

Loja no sofisticado Bal Harbour Shops, em Bal Harbour, a norte de Maiami - Foto: Bia Parreiras

PASSEIOS

Orlando para maiores

Deixe as crianças aos cuidados do eficiente serviço de babá do Day Care Kids Out (1-800-6968105, www.kidsniteout.com; US$ 16 a hora) e descubra uma cidade sem Mickey. O bairro mais surpreendente é Winter Park, ao norte, com suas ruas arborizadas e lojinhas. Se você não suporta ficar longe de um shopping, o Altamonte Mall (East Altamonte Drive, 215-5100) é a opção antimuvuca local, com lojas como Gap, Mac, Forever 21. Depois, experimente os chocolates da aromática Peterbrooke Chocolates (300 Park Avenue, 664-3200, www.peterbrooke.com; Cc: A, D, M, V), onde tudo é chocolate, até a pipoca e as batatas chips.

7 dias perfeitos com crianças em Orlando

Dia 1: Magic Kingdom

Com os pequenos (até 6 anos) Comece pela área da Fantasyland, onde está o ursinho Pooh. Depois pilote um dos elefantes voadores do Dumbo. As crianças adoram o Peter’s Pan Flight, uma viagem em um "barco voador" até a Terra do Nunca. Ainda por ali, encaixe o clássico It’s a Small World, em que os barquinhos navegam em meio a bonecos que representam países. Almoce no bufê do Crystal Palace, onde o ursinho Pooh é o anfitrião. Fique pela Main Street para ver a parada Celebrate. À tarde, transforme as menininhas em princesas no Bibbidi Bobbidi Boutique (desde US$ 50; faça reservas do Brasil). Os moleques vão preferir o Pirates League (desde US$ 30), o salão de "feiura" que dá vida a pequenos Jack Sparrow e Capitão Gancho. Aproveite o clima e já entre no Pirates of the Caribbean. Depois, hora de ver o novo show, The Magic, The Memories and You!, e o Wishes, uma linda queima de fogos.

De 7 a 12 anos Siga para a região da Frontierland e comece o dia pela Splash Mountain, um "passeio" de barco que tem uma queda de cerca de 15 metros. De lá, aproveite para brincar na montanha-russa Big Thunder Mountain Railroad. Para almoçar, o Royal Table, dentro do Castelo da Cinderela, recebe a visita das princesas durante as refeições. Pegue um lugar no Mickey’s PhillarMagic, um show em 4D, em que o Donald solta fumaça, espirra água e apronta com a plateia. No fim da tarde assista à divertida parada Move it! Shake it! Celebrate it! Então atravesse o parque até a Tomorrowland para ir à Space Mountain, uma montanha-russa no escuro, e ao game do Buzz Lightyear. Lá pelas 7 da noite, assistir aos shows The Magic, The Memories and You!, que projeta imagens nas paredes do castelo e precede a queima de fogos do Wishes.

O Castelo da Cinderela, postal do Magic Kingdon, da Disney

<p> Andréa D'Amato</p>

O Castelo da Cinderela, postal do Magic Kingdon, da Disney - Foto: Andréa D'Amato

Dia 2: Animal Kingdom e Epcot

Até 6 anos No Animal Kingdom, pegue um lugar no concorrido Kilimanjaro Safaris, em que, de jipe, você vê leões, girafas e elefantes - todos de verdade - num ambiente de savana. Os pequenos vão gostar, em seguida, de ver o musical do Rei Leão. Vá à Dinoland e descanse enquanto as crianças brincam no Boneyard, playground com temática arqueológica. Então é hora de mudar de parque (se estiver de carro, para não pagar o estacionamento duas vezes, guarde o tíquete). Se a sua família gosta de frutos do mar, almoce no Coral Reef Restaurant, cujas paredes de vidro dão para um aquário gigantesco. Aproveite que você já está no pavilhão do Nemo e embarque no mariscomóvel. Depois, bata pernas no World Showcase, com réplicas de atrações de 11 países. O Brasil ainda não está lá, mas é possível que ele ganhe um pavilhão em breve. Siga para o show IllumiNations. Termine o dia na Spaceship Earth, símbolo da Epcot.

De 7 a 12 anos Chegue bem cedo ao Animal Kingdom e vá ao Kilimanjaro Safaris. De lá, corra para a melhor montanha-russa da Disney: a Expedition Everest. Dali embarque nos botes do Kali River Rapids, um rafting bem light. O musical do Rei Leão é boa pedida a seguir, assim como o filme 3-D baseado em Vida de Inseto. Chegando ao Epcot, faça um almoço rápido no Electric Umbrella. No simulador Soarin, você vai se sentir voando de asa-delta pela Califórnia. A próxima parada é no Test Track, para participar dos "testes" de um carro de corrida. Ao anoitecer, escolha os países do World Showcase e já emende com o belíssimo espetáculo Illumi-Nations. E feche o dia no Spaceship Earth.

Dia 3: Hollywood Studios e Downtown Disney

Até 6 anos Comece pela atração mais concorrida: o Toy Story Mania. Usando óculos 3D, você joga ovos, tortas e dardos nos alvos virtuais. Dali, já emende o fofíssimo show da Pequena Sereia. Bem perto, fica a Playhouse Disney, com os personagens dos programas da Disney Channel, como Mini Einsteins e Manny, Mãos à Obra. Marque o almoço na lanchonete Sci-Fi Dine-in, que imita os cinemas drive-in dos anos 50, com direito a telão e mesas em formato de carro conversível. Deixe as crianças então no playground baseado no filme Querida, Encolhi as Crianças. Bem animado, o Muppet Babies 3D diverte a família toda. Estique para Downtown Disney e termine a noite no restaurante T-Rex.

7 a 12 anosVá direto à assustadora Twilight Tower of Terror, o famoso elevador que despenca, e à montanha-russa do Aerosmith. De lá, já encare outro peso-pesado do parque: o Toy Story Mania! As meninas do grupo vão amar o show da Pequena Sereia. Na pausa do almoço, vá ao 50’s Prime Time Cafe. Vale depois conferir a Star Tours, que o leva a uma viagem a uma galáxia distante (atenção: o simulador deve reabrir apenas em 20 de maio). Assista ao divertido show Muppet Babies 3D e não perca o musical A Bela e a Fera.

Se for dia do incrível Fantasmic!, fique no parque até anoitecer. Se não, rume a Downtown Disney. As crianças vão amar a loja dos Vinylmation, com coleções dos bonequinhos temáticos. Já no Disney’s Design-a-Tee você customiza a própria camiseta. Para jantar, escolha a floresta tropical do Rainforest Cafe ou a pré-história no T-Rex Restaurant.

Dia 4: Universal e Citywalk

Até 6 anos Comece o dia no E.T. Adventure e fique pela área do Pica-Pau, cheia de brinquedos para os pequenos. No Animal Actors on Location, as estrelas do show são os bichinhos-artistas. O playground molhado do simpático macaquinho George, o Curioso, é bom também para se refrescar do calor. Almoce um dos suculentos hambúrgueres do Mel’s Drive-in, uma lanchonete bem anos 1950. De lá, siga para o Jimmy Neutron’s com seu anfitrião, Bob Esponja. Não perca o Shrek 4D - mesmo quem não entende inglês vai se divertir com os efeitos especiais. No fim do dia, dê uma voltinha pelo CityWalk. Para jantar, vá ao Bumba Gump Shrimp, restaurante célebre do filme Forest Gump.

7 a 12 anos Não tem quem não goste do Shrek 4D. A atração mistura filme 3D com efeitos especiais, como vento, cheiros e poltronas que tremem. Se as crianças tiverem mais de 1,30 metro, elas já podem encarar a montanha-russa Hollywood Rip Ride Rockit. Ande um pouquinho e entre no Twister... Ride it Out, que simula um tornado. Aproveite para fazer um lanche no Classic Monsters Cafe, que tem como anfitriões Drácula, Frankenstein e outros. Ainda no clima, assista ao Fear Factor Live, um show de horrores. Continue em frente até o Men in Black Alien Attack. Em seguida é hora da melhor atração do parque, The Simpsons Ride. O simulador da família do Bart é tão real e divertido que é difícil não acreditar que seu carrinho está mesmo despencando e entrando na bocona da Meg. Já no CityWalk, a boa é ver o Blue Man Group. Para jantar, vá ao Hard Rock Cafe.

Dia 5: Islands Of Adventure

Até 6 anos Logo de cara, siga até a área do Harry Potter. Mesmo que as crianças sejam pequenas para andar no simulador, dá para entrar no Castelo de Hogwarts. Do lado de fora, a montanha-russa The Flight of the Hippogriff é uma delícia para pais e filhos. Saia de lá e siga para a área do Dr. Seuss. Ande nos carrinhos do The Cat in the Hat e no trenzinho The High in the Sky. Na área dos dinossauros, deixe as crianças brincando no Camp Jurassic, um playground pré-histórico. Por fim, termine o dia no navio do Popeye, o Me Ship, the Olive.

7 a 12 anos O caminho aqui é o mesmo: siga direto para o Wizarding World of Harry Potter para testar o simulador do Harry, em que você embarca numa viagem ao lado do herói e enfrenta os vilões da série. O Flight of the Hippogriff é uma montanha-russa bem light, enquanto a Dragon Challenge é radical. Almoce por lá, no restaurante Three Broomsticks, que serve fish and chips, bem à inglesa. Dali, siga para o Jurassic Park River Adventure: no momento final, surge um T-rex que faz o barquinho cair numa queda de 25 metros rio abaixo. Aproveite que já está molhado e encare as divertidas corredeiras do Popeye Bluto’s Bilge-Rat Barges. Depois, hora do esperado simulador do Homem-Aranha em 3D. Se a turminha for mais nova, fique pela área do Seuss Landing, que tem carrossel e trenzinho. Ao anoitecer, volte para a vila do Harry Potter para fazer umas comprinhas.

Dia 6: Seaworld

Até 6 anos Comece pelo Turtle Point, espaço das tartarugas marinhas, e pela Stingray Lagoon, das arraias. Assista primeiro ao show Blue Horizons, com golfinhos e performances à la Cirque du Soleil. O teatrinho Clyde and Seamore Take Pirate Island, com piratas e leões-marinhos, diverte bastante. Almoce no Sharks Underwater Grill e então leve os pequenos para brincar na área da Shamu. Depois siga para o Florida Mall para fazer umas compritchas para as crianças na Toy’r’Us, Baby’r’Us, Disney Store e MM’s World.

7 a 12 anos Se a molecada for chegada em uma montanha-russa, a Manta é imperdível - ela tenta simular os movimentos do nado de uma arraia e todo o percurso é feito de barriga para baixo. O Splash Journey to Atlantis vale pela queda em que você se molha inteiro. De lá, deviamente enxuto, assista ao show Blue Horizons. Faça uma pausa para o almoço no Seafire Inn. Siga por um tour pelas piscinas onde ficam os animais fofos: Turtle Point, Stingray Lagoon, Dolphin Cove. Não se esqueça do novo show da Shamu, o One Ocean. De lá, vá garimpar peças com desconto no maior outlet da cidade, o Premium Outlet - International Drive.

Dia 7: Busch Gardens/Aquatica

Até 6 anos Se você decidir ir ao Busch Gardens, em Tampa, a 130 km de Orlando, comece no playground da Vila Sésamo para depois olhar (e até alimentar) bichos selvagens do Serengeti Safari. Mas, se a pedida for ficar em Orlando, feche a viagem no Aquatica, que tem um toboágua transparente que atravessa uma piscina com golfinhos.

7 a 12 anos No fim do mês, o Busch Gardens deve estrear Cheetah Hunt, uma montanha-russa que simula um guepardo à caça. Os carrinhos atingirão 100 km/h em poucos segundos e despencarão de 40 metros numa vala subterrânea. É a principal atração de Orlando neste ano. Outra montanha-russa bacana é a Sheikra, com uma queda de 61 metros. De lá, siga para os dois brinquedos de água: Stanley Falls e Tidal Wave. Almoce no Crown Colony, que serve comida ao estilo "da mamãe", e depois olhe o parque de cima viajando no teleférico do Skyride. Em Jugala, você fica cara a cara com simpáticos tigres-de-bengala. Para ver mais animais, embarque no tour pago à parte, o Serengeti Safari.

HOTÉIS

Miami

Tudo está lá

Alguns hotéis em Miami não são simples hotéis. São baladas, bares descolados, restaurantes estrelados e até spas. Como o Fontainebleau (4441 Collins Avenue, 538-2000; diárias desde US$ 310; Cc: A, M, V), que abriga a danceteria Liv e o restaurante chinês Hakkasan. O W (2201 Collins Avenue, 938-3000; diárias desde US$ 529; Cc: A, M, V) tem no térreo o afamado restaurante chinês Mr. Chow. Novíssimo, o Canyon Ranch (6801 Collins Avenue, 514-7000, www.canyonranch.com; diárias desde US$ 400; Cc: A, M, V), com programas de emagrecimento e aulas de meditação, é quase um spa em forma de hotel cinco-estrelas. Mais business, o JW Marriott Marquis (255 Biscayne Boulevard, 421-8600, www.marriott.com; diárias desde US$ 290; Cc: A, M, V) está num espigão de 42 andares - os três últimos são um hotel-butique dentro do hotel, o Beaux Arts. Para preços mais simpáticos, cacife o Circa 39 (3900 Collins Avenue, 538-4900; diárias desde US$ 120; Cc: A, M, V) e o St. Augustine (347 Washington Avenue, 532-0570; diárias desde US$ 169; Cc: A, M, V).

ORLANDO

O luxo chegou

Nos últimos anos, Orlando teve um upgrade em sua hotelaria. Surgiram o Hilton Bonnet Creek (14100 Bonnet Creek Resort Lane, 597-3600; diárias desde US$ 220; Cc: A, D, M, V), na Disney, com uma imensa piscina, kid’s club e transporte para os parques. O Hyatt Grand Cypress (One Grand Cypress Boulevard, 239-1234, www.grandcypress.hyatt.com; Cc: A, D, M, V; diárias desde US$ 150) é um resort cinematográfico com lago particular, três campos de golfe e trilhas para caminhar, cavalgar e pedalar. De alguns apartamentos dá para ver a queima de fogos no Epcot e no Magic Kingdom. O The Peabody Orlando (9801 International Drive, 352-4000, www.peabodyorlando.com; Cc: A, D, M, V; diárias desde US$ 275) é um gigante de 1 640 quartos com quatro restaurantes, quatro piscinas e spa. O The Ritz-Carlton Grande Lakes (4012 Central Florida Park-way, 206-2400, www.grandelakes.com; diárias desde US$ 320; Cc: A, D, M, V), rodeado por lagos e bosques, tem um dos melhores spas da Flórida. O campo de golfe foi criado em parceria com o golfista Greg Norman. O Waldorf Astoria (14100 Bonnet Creek Resort Lane, 597-5500, www.waldorfastoriaorlando.com; diárias desde US$ 250; Cc: A, D, M, V), inaugurado há pouco mais de um ano, é um dos mais luxuosos da cidade. Precisa de um mordomo? Peça na recepção.