Inspirando as pessoas a cuidar do planeta desde 1888 | Saiba mais »

Curiosidade animal

t

Verdade ou mito? Gavião-fumaça coleta galhos em brasa para alimentar incêndios e continuar caçando

por Fábio Paschoal em 22 de março de 2012

Gavião-fumaça (Heterospizias meridionalis) / Foto: Fábio Paschoal

Gavião-caboclo, gavião-casaca-de-couro, gavião-telha, gavião-tinga… Todos esses nomes pertencem ao mesmo bicho, o Heterospizias meridionalis. Como é encontrado em vários estados do Brasil, acabou recebendo várias denominações. Porém, estou mais interessado no nome utilizado no Pantanal: gavião-fumaça.

O fumaça era uma companhia constante nos meus tempos de guia na planície pantaneira. Gosta de áreas abertas, e era avistado na beira da estrada com certa frequência. Procura por uma variedade grande de presas: pequenos mamíferos, aves, cobras, lagartos, rãs, sapos e grandes insetos.

Apesar de ser um animal comum, fascina os pantaneiros devido a um hábito interessante que lhe rendeu seu nome: quando há um incêndio, comum na época de seca, o gavião sobrevoa as labaredas e fica na fumaça. Espera pacientemente até observar um animal fugindo do fogo. A presa escapa das chamas, mas não escapa do gavião-fumaça.

Se a estratégia não der certo, o fumaça não desiste. Volta para a parte já consumida pelo fogo e procura um churrasquinho para fazer o seu almoço. Ele não é o único gavião com esse comportamento, mas acabou recebendo o título.

Os peões acreditam que o gavião-fumaça coleta galhos em brasa para alimentar o incêndio e continuar caçando, mas ainda não há nenhum estudo científico que comprove isso. Assim, a lenda continua, e é passada de geração em geração nos campos abertos do Pantanal.

Comentários (5)
Deixe seu comentário
Nome
E-mail
Comentário (Seu comentário mínimo 5 caracteres )

  • Por: Bruno K.
  • -
  • 23 de março de 2012 às 1:01

Muito interessantes os gaviões do Pantanal! Lembram as águias da Grécia que jogam as tartarugas do precipício.
Parabéns pelo blog! Está ficando bem legal!

  • Por: Julia Sá
  • -
  • 1 de abril de 2015 às 16:07

Não acredito que façam isso, pois no Pantanal o vemos sempre próximo a água, pegando peixes, caranguejos ou outros moluscos…!!!

  • Por: Abner
  • -
  • 18 de agosto de 2015 às 12:44

Aqui em minha cidade há este tipo de gavião, interior do rj, litoral, mata atlantica e grande planicies, aqui há muito caracara, um cinza c peito branco, este caboclo fumaça e um pequeno tipo falcão.

  • Por: Neci Maria Marchi dos Santos
  • -
  • 18 de agosto de 2015 às 16:55

Interessante: adaptação ao meio!!!

  • Por: Expedito Steffanello
  • -
  • 13 de abril de 2016 às 14:53

O imaginário do Pantaneiro está repleto de histórias semelhantes a essa; contudo, se esta fosse verdadeira, teríamos incêndios monumentais, pois há muitos desses animais para disseminar o fogo, mas, o que ocorre de verdade sobre a propagação de incêndios em regiões de estação seca são os redemoinhos que ocorrem sobre as áreas queimadas. Esse sim são capazes de levantar faíscas e até brasas ou pequenos gravetos em brasa e os lançar sobre uma área ainda não queimada provocando novos focos de incêndio. Eu já vi isso ocorrer no cerrado. De resto, já vi muitas espécies de gaviões sobrevoando áreas que estão queimando, áreas queimadas ou o entorno delas durante um incêndio.