Argentina

País / Capital: Buenos Aires

  • www.turismo.gov.ar, www.info.gov.ar
  • 40.765.000 hab
  • +54
  • 0h (horário de Brasília)
  • América do Sul
  • Peso argentino
  • 0800-9995500
  • Não é necessário.

  • SHIS, QL 2, conjunto 1, casa 19, Brasília (DF)
    (61) 3364-7600
    www.brasil.embajada-argentina.gov.ar

Ver destinos em Argentina »

O que faz da Argentina um destino tão procurado por brasileiros é ser uma espécie de Europa a poucas horas de casa e que cabe nos mais variados bolsos. Buenos Aires e Córdoba, suas maiores cidades, são cosmopolitas e agradáveis, com ótimos restaurantes, parques elegantes e charmosas lojas oferecendo preços justos. Na capital, assistir a uma partida entre River Plate e Boca Juniors explicaria por que o futebol nesse país é tratado como religião (mas por ora infelizmente esse é um espetáculo difícil de acontecer, já que o River caiu para a segunda divisão em 2011). Ainda em Buenos Aires, prove uma das melhores carnes de sua vida, seja na concorrida Puerto Madero ou em algum encantador restaurantezinho de Palermo. Nos contrafortes andinos, a região de Mendoza abarca algumas das melhores produções vinícolas do continente e é a plataforma perfeita para explorar o Cerro Aconcágua, a mais alta montanha do planeta fora da Ásia.

Um pouco mais ao sul, a Patagônia traz a combinação de neve e frio que tanto nos fascina. Em Bariloche e Las Leñas o desafio pode vir das excelentes pistas de esqui, no inverno, ou de cavalgadas e canoagem no verão, enquanto em El Calafate paisagens dramáticas que combinam lagos, geleira e picos de granito fazem a alegria de praticantes de esportes ao ar livre. Isso sem contar a majestosa geleira Perito Moreno e as montanhas ao redor de El Chaltén, listadas como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, no Parque Nacional Los Glaciares. Já na meridional Ushuaia, uma rica fauna composta de pinguins, orcas e leões-marinhos ocuparão os fotógrafos, que de lá não saem sem excelentes recordações. 

Tango, vinho, futebol e alfajores – a Argentina tem tudo aquilo que cai bem ao nosso gosto.

SUGESTÃO DE ROTEIROS

A grande maioria dos brasileiros tem uma boa introdução ao país conhecendo sua capital, normalmente em pacotes que vão de três a cinco noites. Isso é tempo mais que suficiente para conhecer bem a cidade. Para os marinheiros de primeira viagem, confira nosso roteiro 48 Horas em Buenos Aires.

A partir daí, vá conhecendo a Argentina aos poucos, fatiada, mesmo porque é impossível conhecê-la de uma só vez. O noroeste pode ser coberto com um tour de uma semana por Jujuy, Salta e Cafayate. Mendoza, nos contrafortes dos Andes, também pode ser conhecida em uma semana, em um ritmo bem calmo e contemplativo. Mais ao sul da Patagônia, um roteiro que combine El Calafate, El Chaltén, Puerto Madryn, Península Valdez, Ushuaia e Torres del Paine, no Chile, leva de sete a quinze dias. Já Bariloche, sempre lembrada como resort de inverno, é um lugar bem bacana para conhecer também no verão e no outono, combinando com uma travessia dos lagos andinos, indo ou vindo do Chile.

E, não esqueçamos, como as províncias de Corrientes e Misiones fazem fronteira com o Brasil é literalmente um pulo ir lá conhecê-las. Entre as principais atrações estão Foz do Iguaçu e as missões jesuíticas, destinos também compartilhados conosco.

DESTAQUES

- Tirar fotos da rica fauna marinha do Atlântico Sul em Puerto Madryn e Comodoro Rivadavia;

- Caminhar sobre gelo centenário no glaciar Perito Moreno, em El Calafate, e admirar os picos de granito em El Chaltén;

- Provar rótulos de vinho que nunca chegam por aqui em Mendoza e Salta;

- Entrar em uma roda de mate e degustar um autêntico asado nos campos do interior;

- Sentir o charme dos resorts de esqui.

COMO CHEGAR

Voos diretos do Brasil para a Argentina pousam no Aeroporto Internacional de Ezeiza (aa2000.com.ar), a 35 quilômetros de distância de Buenos Aires (cerca de 45 minutos), e também no Aeroparque Jorge Newbery (aa2000.com.ar), próximo ao centro da capital. A Aerolíneas Argentinas e a TAM têm voos diários saindo de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. A Gol também opera voos diários de São Paulo e Porto Alegre. A Lan tem duas partidas por dia dia a partir da capital paulista.

No aeroporto de Ezeiza há táxis comuns (AR$ 128 a corrida para o Centro), micro-ônibus e ônibus (micro ou colectivo, em espanhol) – a linha 8 vai para o Centro, mas é demorada e funciona somente até as 23h. Importante: em Buenos Aires, as passagens podem ser pagas apenas com moedas (pesos argentinos). Você também pode optar pelos remises, táxis especiais que cobram um preço fixo para levar os passageiros a um destino determinado.

COMO CIRCULAR

A lendária Ruta 40 (www.ruta40.gov.ar) corta a Argentina de norte a sul por cerca de 5 mil quilômetros, correndo paralela à Cordilheira dos Andes. Além das estradas de alta velocidade, o país possui rodovias secundárias, cuja situação varia bastante. Nas regiões de montanha é bom ter experiência em dirigir na neve. Para dirigir na Argentina, basta apresentar a habilitação brasileira.

As principais empresas de ônibus da Argentina são a Andesmar (www.andesmar.com), a Chevallier (www.nuevachevallier.com), a El Rápido International (www.elrapidoint.com.ar), a Via Bariloche (www.viabariloche.com.ar) e a Crucero Del Norte (www.crucerodelnorte.com.ar).

Apesar de haver poucas linhas, os trens costumam ser mais baratos que os ônibus na Argentina (são mais lentos também). As principais empresas são as Ferrobaires (www.ferrobaires.gba.gov.ar), a TBA (www.tbanet.com.ar) e a Trenes del Litoral (www.trenesdellitoral.com.ar).

Que tal atravessar o Rio da Prata e esticar a viagem em território uruguaio? Diariamente saem barcos do porto de Buenos Aires para Colonia Del Sacramento e Montevidéu. A Buquebus (www.buquebus.com) tem barcos rápidos e lentos.

ONDE FICAR

Não faltam boas opções de hospedagem na Argentina. Seja em Salta ou na Patagônia, há sempre uma pousada ou pequeno hotel familiar bem bacanas, com serviço prestativo, infraestrutura moderna e cafés da manhã excelentes. Nas grandes cidades a pedida são os hotéis de rede, entre eles NH (www.nh-hotels.com) e Accor (www.accorhotels.com), bem propícios para viagens a negócio ou para quem não quer surpresa. Em Buenos Aires, prefira aqueles mais centrais. mas cada grande operadora de turismo tem parcerias com estabelecimentos em separado, seja ele um Marriott, Best Western ou independente.

Comente