Barcelona para experts parte I: bares históricos do Bairro Gótico

Foto: Sergio Scripilliti

Barcelona tem uma das maiores concentrações de bares moderninhos por quarteirão da Europa. Mesinhas coloridas, projeções, drinques criativos, instalações, cadeiras de design, barmans com ar blasé… cool no último. Mas, às vezes, isso cansa. Nesses momentos, correr ao extremo oposto é uma delícia. Sai o povo moderninho, entram senhores, senhoras e outros locais.

Saem os modelos que atacam de garçom, entram aqueles espanhóis bonachões que falam alto, esculhambam os clientes se necessário e equilibram 10 pratos em uma mão. Saem os móveis engraçadinhos, entram as mesonas de madeira e o velho balcão de botequim. Saem as comidinhas delicadas em forma de obra de arte e entram as boas e velhas tapa de toda la vida, como se diz por aqui: patatas bravas (batata frita com molho apimentado), lulas fritas, croquetes de jamón ibérico, etc etc etc.

A zona “baixa” do Bairro Gótico (a mais próxima ao Passeig Colón) tem a maior concentração de tavernas antiqüíssimas da cidade. Pegue um mapa de Barcelona e procure as Carrer de la Mercè e Carrer Ample. Percorra as duas de ponta a ponta usando a Carrer Regomir para ir de uma à outra. E você verá os lugares mais espetacularmente antigos e autênticos. O mais bacana é comer uma coisinha em cada um, pulando de bar em bar até ficar satisfeito (em qualquer um desses bares, ou comendo um pouquinho em cada, você não gastará mais do que 25 euros). No entanto, três deles são indispensáveis:

El Tropezón (foto): todo de madeira, este bar escondidinho e centenário é um dos grandes segredos do bairro. No andar de cima, onde está a maioria das mesas, mal dá pra ficar de pé (tipo “Quero ser John Malcovich”), mas a comida é fantástica. Não deixe de provar a “bomba”, espécie de coxinha apimentada, tradicionalíssima.
Carrer Regomir, 26, 933-101-864.

Pulpería Celta: Como o nome sugere, a especialidade é o pulpo (polvo). O prato de pulpo a la gallega (com azeite e páprica) é o hit da casa, de comer de joelhos. Os pulpitos (mini polvinhos fritos) também valem. E os pimientos del padrón (um pimentão verde, pequeno) também são divinos. O balcão é uma verdadeira vitrine de especialidades espanholas. O cliente dá uma olhada geral, babando, e aponta o que quer. O serviço é eficiente e super simpático.
Carrer de la Mercê, 16

Bodega la Plata: É dureza conseguir um espacinho no balcão desse bar, fundado em 1920. Mas a recompensa é garantida. A especialidade são as sardinhas fritas, mas tudo que é servido na casa é bem feito e delicioso.
Carrer de la Mercè 28, , 93-315-10-09

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.