Barcelona para experts, parte III: as incríveis lojas de chocolates malucos

Na terra de Ferran Adriá, onde as cozinhas se parecem com laboratórios de ficção científica, não é de se estranhar que a piração culinária alcançasse também outros setores da gastronomia. Chocolate com wasabi? Milho frito? Açafrão? Sim, tudo isso existe aqui em Barcelona e, acredite, é uma delícia.

Cacao Sampaka (Rua Ferran, 43-45, 933-041-539): Pode funcionar como uma “introdução” ao mundo dos chocolates criativos. A loja não chega a ter receitas tão escalafobéticas, mas algumas especialidades levam ervas, flores e especiarias. Outra sacada genial são as caixas de bombons que utilizam exatamente a mesma receita, inclusive na proporção de cacau, mas reúnem exemplares feitos com matéria prima vindas de diferentes países e denominações de origem. Assim como a uva, o cacau também é influenciado pelo seu terroir (as condições do solo, o clima, a temperatura…). Por isso, provando chocolates similares de diferentes origens, dá pra sentir exatamente a diferença entre cada bombom. É uma ótima maneira de exercitar o paladar. Adivinha quem está por trás dessa marca? O irmão de Ferran Adriá, Albert, o responsável pelas sobremesas do El Bulli, considerado o melhor restaurante do mundo (veja mais detalhes sobre o El Bulli no blog da Alexandra Forbes que, aliás, veio recentemente a Barcelona e escreveu uma ótima reportagem sobre a nueva cocina española que será publicada no Especial Espanha da VT, que chegará às bancas nos próximos dias).

Oriol Balaguer (Plaça Sant Gregori Taumaturg, 2, 932-011-846): este o chocolatier catalão também tem influências do mirabolante Adriá. Balaguer trabalhou por sete anos no El Bulli. Wasabi, trufa negra, milho frito, açafrão, azeite de oliva, curry, sal grosso e até rúcula transitam tranquilamente por seus bombons, doces e tortas. A estrela da casa é um delírio absoluto: a torta Sete Texturas de Chocolate, com chocolate líquido, congelado, em musse, geléia, ganache, biscoito e crocante. Eis aí algo que todo mundo deveria experimentar antes de morrer.

Enric Rovira (Calle Josep Tarradellas, 113, 934-192-547): ainda mais radical e criativo que Oriol Balaguer, Enric Rovira é o próprio ícone da nova geração de chocolateiros alquimistas. Além de utilizar ingredientes improváveis ele também abusa de formas criativas para esculpir as suas criações.  Sua coleção Barcelona, por exemplo,  inclui tijolos quadrados que imitam as calçadas da cidade e azulejos que mimetizam os da La Pedrera, famosa casa de Gaudí no Passeig de Gràcia. Rovira também tem uma criação um tanto quanto bizarra:  o “bombom virtual” (foto) tem cara e cheiro de chocolate mas não é comestível. Vai entender…

Outras guloseimas delirantes:

Papabubble (Carrer Ample, 28, 932-688-625): essa lojinha, criação do simpático inglês Tommy, já tem filial em Tóquio e Amsterdã vale a visita mesmo que você não esteja interessado em comprar balas e pirulitos em formatos exóticos. É que os docinhos são preparados na frente de todo mundo por “baleiros” performáticos, com som de DJ. A loja vive lotada de curiosos. O grande barato é que as balas e pirulitos podem ser personalizadas, tanto no sabor quando no formato.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.