Shopping fever 2: onde comprar o que em Barcelona

ROUPA BÁSICA: As grandes veias comerciais da cidade ficam no centro. O Portal Del Angel é uma rua largona só para pedestres ao lado do El Corte Inglés da Plaza Catalunya. E a Carrer Pelayo liga a Plaça Catalunya à Plaça Universitat. Lá estão todas as marcas blockbuster como Zara, Mango, Blanco, Bershka, Stradivarius, Camper, Womans Secret (I love it!), etc. O grande problema é a muvuca, que beira o insuportável aos sábados e véspera de Natal.

A alternativa para fazer compras sem levar cotoveladas é – pasme – ir aos shoppings. O catalão, assim como a maioria dos europeus, não curte o estilo de vida americano e, portanto, prefere as lojas de rua. Como resultado, os shoppings são poucos, mas bons e vazios. Adoro o L’Illa Diagonal, na Avinguda Diagonal. E uma alternativa perto do centro é o Maremagnum, que vive lotado de turistas em seus bares e restaurantes (fuja!) mas tem lojas boas e transitáveis.

 

ALTA MODA: As Guccis e Pradas da vida ficam no eixo Passeig de Gràcia/Diagonal, que formam o cruzamento mais chique da cidade. Um ônibus especial – Tomb Bus – circula pra cima e pra baixo facilitando a vida da cocotagem. Entre uma loja carésima e outra, também é possível encontrar lojas normais como Zara, Mango, Promod e H&M (a maior prechincha européia).

 

ROUPA MODERNINHA: As lojinhas bacanas dos jovens estilistas ficam – adivinha  – nos bairros moderninhos do Borne e do Raval. No Borne, vale se embrenhar mesmo, porque cada esquina reserva uma surpresa. Já no Raval, concentre-se nas redondezas do Macba, o Museu de Arte Contemporânea de Barcelona. Outro incrível garimpo de modelitos novos e usados é a Carrer Avignyó, no Barrio Gótico.

 

ELETRÔNICOS: Sempre vale dar uma olhada na Fnac (tem uma bem na Plaça Catalunya), mas muitas pechinchas costumam aparecer no eixo formado pela Carrer Palayo e Ronda Sant Antoni, o paraíso dos eletrônicos e também dos eletrodomésticos. Os fotógrafos profissionais não devem ignorar a loja Casanova, a mais completa em equipamentos e serviços. Também há bons preços na escondidinha Carrer de la Reina Cristina (a rua da champanheria Can Paixano, na Barceloneta). Mas nesse caso a procedência das bugigangas pode ser um pouco duvidosa, se é que você me entende.

 

COSMÉTICOS E PERFUMES: Os preços muito dificilmente serão melhores do que no Free Shop do aeroporto de Guarulhos. Mas se isso não for problema, refestele-se na Sephora (a Disneylândia dos cosméticos no prédio da Fnac da Plaça Catalunya) e no El Corte Inglês.

 

BIQUINIS: Compre no Brasil. Se tiver esquecido o seu em casa, a única salvação razoável é a Womans Secret.

 

CHOCOLATE: Algumas lojas espanholas desafiam a sanidade mental dos chocólatras. Não perca a Cacao Sampaka e o Oriol Balaguer.

 

PEÇAS DE DECORAÇÃO: A Avinguda Diagonal é o point das lojas chiques de móveis e design. Mas os designers jovens estão no Raval, no Gótico e no Borne, lado a lado com os jovens estilistas. Para encontrar as maiores pechinchas da Europa, vá ao Ikea e pire com os acessórios por menos de 10 euros. O problema vai ser carregar tudo depois…

 

Alguém quer saber mais onde comprar? Dicas de lojas? Pergunta que eu respondo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.